sexta-feira, setembro 29, 2006

Você é famoso?

Este fim de semana foi marcado pelo show dos REBELDES (RBD) em Brasília. Eu infelizmente não pude ir, mas ouvi dizer que foi bem legal. Ok, eu não teria ido mesmo se tivesse a oportunidade. O que me chamou mais a atenção foi o pré e o pós show.

Eu trabalho perto do hotel Meliá, onde os mexicanos Rebeldes estavam instalados. No dia em que eles saíram de Brasília, uma fila monstra de adolescentes, muitos vestidos rebeldemente, aguardavam nas saídas do hotel. Os fãs estavam todos com o caderninho de autógrafo na mão e celulares ligados, caso o amigo no outro lado do hotel, vigililante, visse algum movimento suspeito. O negócio era pegar os Rebeldes!

O pré show também me chamou a atenção. Pelo que ouvi dizer, muitos pais estavam pagando uma quantia um tanto alta para seus filhos de 12 anos irem ao show. Sei que uma amiga minha pagou cerca de R$ 200. Depois o preço abaixou. Me pergunto se é um dinheiro bem gasto para entretenimento de um garoto de 12 anos...

Tudo isso me trouxe velhas lembranças. Do fundo do baú para o blog...

Vem cá! Te conheço?

O ano era 1998 e, junto com uns amigos, eu me preparava para ir a um show dos Paralamas do Sucesso, ao lado do Park Shopping. Após ver um filme e comer no McDonalds, estávamos nos reunindo numa das entradas, para ir ao dito show. A Marcella, amiga nossa, notando meu casaco preto com capuz e o óculos escuro esportivo do meu amigo resolveu me fantasiar de BONO VOX, que na época se vestia assim... Entrando na brincadeira, saí pelo shopping encapuzado e de óculos escuro, com cara séria. Um sujeito gritou pra mim "E aí Bono????" Eu respondi... O disfarce funcionou, para minha incredulidade!

Depois do BONO-TOUR, voltei à entrada onde meus amigos estavam reunidos. Contei a eles o ocorrido e fui (ainda disfarçado) com outro amigo meu, o Ramon atrás de alguma loja que vendesse TRIDENT para o show. O melhor estava por vir...

Notei que umas 4 garotas, de uns 14-15 anos estavam seguindo a gente. Antes de entrar na loja, elas me abordaram perguntando se eu era famoso. Respondi que não. Não quis mentir pra elas. Entramos e compramos o tradicional Trident-de-Show. Saímos da loja e fomos em direção à "Casa do Pão de Queijo". As 4 garotas apareceram novamente. Ainda estavam nos perseguindo. Dessa vez eu não resisti...

- Vem cá, moço... Tem certeza de que você não é famoso?
- Por quê vocês acham isso?
- Ah... Você está todo escondido...
- Hum... Pois é. Sabe o que é? Eu toco numa banda bem famosa que está se lançando no Brasil. A gente já é conhecido no Uruguai. Somos de lá...
- Ah......... Mas você fala português....
- Si quieres, puedo hablar en español.
- (Ohhhhhhhhhhhhhhhhh-Fazendo cara de "Ele é famoso mesmoooooooooo!!") Como é o nome da sua banda??
- Whistle (não sei por quê esse nome estúpido veio na minha cabeça...).
- Canta alguma coisa pra gente...
- Poxa... Adoraria, mas sou só o baterista. Se eu cantar esse shopping cai. Esse aqui que está comigo é Juan Ramón, nosso representante comercial em Brasília (estava olhando pra outra direção se segurando pra não rir).
- Ah tá... e... Será que você poderia dar uns autógrafos pra gente?
- Lógico. E serão meus primeiros aqui no Brasil! (me virando para a balconista da Casa do Pão de Queijo) A senhora tem uma caneta por favor??

A essa altura, uma roda de gente me olhava se perguntando quem eu era. Dei autógrafo para as meninas e mais umas amigas delas que apareceram por lá. Ainda disse pra elas ficarem ligadas na Band que daríamos uma entreviasta no domingo e na MTV onde nosso clipe iria estrear no mês seguinte. Devolvi a caneta e, apressado, fui embora, deixando minhas primeiras e únicas fãs com um sorriso de orelha a orelha. Por alguns bons minutos, fui quase um RBD!

quinta-feira, setembro 28, 2006

Bad stress! No donuts for you!

Tem tempo que nada significativamente novo aparece por aqui... Culpem meu trabalho. Todo fim de mês é a mesma coisa. As semanas que começam nos dias 20~25 de todo mês são sinônimo de falta de vida. Nesses dias, trabalho da hora que acordo (digamos 10h30-11h) até as 3-4 da manhã. Esqueço que existe BLOG. Então, caso você apareça por aqui nesse período, dificilmente encontrará postada alguma novidade.

Essa semana foi particularmente agitada, por conta da Lei Eleitoral. Foram muitos anúncios pra fazer, todos chegando de última hora... Enfim... Meu nível de stress tava no firmamento, ao lado de Jesus. Sábado (último dia de tormento essa semana) fiquei sem almoço, o que para um amante da comida como eu é uma heresia. Como ia para um bar a noite com a intenção de me empanturrar de insalubres petiscos, não liguei muito. Terminei o serviço 20h30 e, as 21h, já pronto para ir pro bar, me ligaram. Teria que voltar para enviar uns arquivos novamente. Contei até 10 (em ucraniano).

10. 10 minutos seria o tempo que me levaria para resolver o problema e ir jantar. Saí de casa quando a chuva começou. Meu carro sujo e molhado não me deixava enxergar grande coisa lá fora e, como eu não estava com muita vontade de me molhar, resolvi parar no meu trabalho mesmo. Na entrada do apertadíssimo estacionamento, sob duas placas de PROIBIDO ESTACIONAR, CACETE!!!, um microônibus e uma S10 se espalhavam tranqüilamente. Acreditando ser dono de um carro com poderes elásticos, resolvi passar. Enquanto meu nível de stress se encontrava com Jesus ele deve ter apedrejado a Cruz... Moisés não desceu para abrir meu caminho e eu ouvi um sonoro GRÔOOOOOOOOOOOOOK atrás do meu carro, que agora ostenta uma bela tarja cinza; verdadeiro atestado de barbeiragem. Fechou a semana com chave de ouro! O carro mal tinha um arranhão!

A volta ao trabalho depois dessa semana se caracteriza pelo Momento-Malandragem. Nesse período raramente aparece algo pra fazer. É quando arrumo a bagunça gerada no meu computador, fuço orkuts, atualizo o blog, jogo sim city, fico no MSN falando com quem estiver Online, vejo blog de amigos, vejo quem passou por aqui, faço desenhos, planos para derrubar o governo entre outras coisas.

A responsável pela limpeza me encarregou de fazer para ela umas lembranças, para um evento religioso (um tal de "elo"). Vou ver se faço, para me redimir das travessuras do meu nível de stress no Firmamento.

Próximo Post: Meus minutos de fama e o RBD (Histórias do Baú 1)

sábado, setembro 16, 2006

Números e Cinderelas

Meu blog completou um mês de existência. Ia dizer "de vida" mas não acredito que haja algo vivo por aqui; então "existência" vem mais ao caso. Para não me perder em estatísticas mais tarde e a quem possa interessar, deixo aqui alguns números:

* Em média, 6 pessoas vêm o Pepperpot por dia, permanecendo aqui 2 minutos. Espero que seja leitura dinâmica!
* 28 de agosto: dia mais movimentado com 21 visitas!
* Países que já passaram por aqui: Brasil (óbvio), Chile, EUA, Canada, Portugal, Espanha França, Holanda, Suécia, Japão.

Pra terminar; mudando de assunto:

Havia uma festa num castelo onde morava um belo príncipe. Nobres damas do reino foram convidadas, pois o príncipe estava solteiro. Assim, Lucrécia e Leôncia, duas irmãs que fariam qualquer Medusa em sã consciência virar pedra e Dona Pafúncia, mãe das citadas, se aprontavam para ir ao palácio. Cinderela (a.k.a. Gata Borralheira) verdadeira Afrodite em forma humana ficaria em casa lavando o chão.

Uma lágrima cai de seu olho0 quando as outras mulheres da casa saem para a festa deixando-a sozinha. Eis que da lágrima surge em uma luz azul sua Fada Madrinha.

- Cindereeeeeeeeeeeeeela!!! Por que chorassssssssssss???
- Ah, Fada... é que eu queria TAAAAAAAAAAANTO ir à festa.... Mas... Não tenho roupas, nem perfumes.... Tenho apenas um chão pra limpar!
- Por isso eu estou aqui. Você irá à festa. Vê esse pano de chão? Farei dele o mais belo vestido. Cavalos brancos se tornarão esses hamsters da Lucrécia! Esses cubos de gelo serão nobres sapatos de cristal a calçar seus delicados pés e uma abóbora, que irás pegar no quintal, será sua suntuosa carruagem!

Quando a Cinderela volta com uma descomunal abóbora, belo vestido, cavalos brancos e nobres sapatos já a aguardam na cozinha.
- Farei agora a suntuosa carruagem, diz a Fada Madrinha.
...

- ...Espere!-intervém Cinderela.
Sabe o que é, Fada... Todo mês, as mulheres têm aqueles problemas, sabe? Em vez de suntuosa carruagem, será que eu poderia ter um eficiente O.B.? O Castelo é aqui em frente mesmo.... Irei a pé.
- Tudo bem, Cinderela, se assim deseja.... Enquanto você vai à festa, darei um jeito nessa bagunça aqui.
- Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... Obrigada Fada!!!!

Assim, a deslumbrante Cinderela foi à festa do Príncipe.
Porém, algo incomodava a Fada Madrinha que estava arrumando a casa.
- Hum... Acho que esqueci alguma coisa... Mas.... O quê???

Era meia noite quando, para espanto geral da festa, a Cinderela explodiu.

terça-feira, setembro 12, 2006

Natureza de luto

Por conta de uma pane no servidor do trabalho este blog ficou abandonado. Muitos de vocês, a essa altura já devem ter decorado a história do Napolitano. Volto agora com o post que deveria estar aqui na segunda feira passada mas foi adiado por falta de recursos!
-----------------------------------------------------------------------
Tudo começou quando eu estava sentado num sofá, sem grandes coisas pra fazer, assistindo a todos os canais ao mesmo tempo. O controle parou no Discovery Channel, onde um loiro hiperativo com sotaque esquisito agarrava crocodilos. Eu que nunca vi a mínima graça naqueles répteis grandalhões me tornei fã do programa. Não perdia nenhum episódio!

Steve Irwin fez escola. Antes dele, documentários se limitavam a uma voz em off narrando o triste destino da zebra sendo devorada pelo leão. Steve era o personagem central dos documentários. Interagia com os bichos de uma forma um tanto... SELVAGEM! Você via se perguntando qual seria a próxima loucura dele. De quebra, aprendia coisas sobre os bichos... A fórmula fez tanto sucesso que logo surgiram inúmeros STEVE wannabes; nenhum entretanto, tão carismático quanto o original.

Embora criticado por muitos por práticas pouco ortodoxas, que iam desde a interação com os animais a alimentação de crocodilos com um bebê no colo, Steve era um apaixonado pela natureza e pelo seu trabalho. E essa paixão se fazia sentir cada vez que o empolgado "Crocodile Hunter" pulava sobre suas presas gritando "Look! It's a female! Isn't she gooooooooooooooorgeous??"

Uma raia colocou um ponto final no seu trabalho. Com certeza deixará saudades e óitimas lembranças. Rest in peace, mate!!



Photobucket - Video and Image Hosting Steve_Irwin
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...