terça-feira, outubro 31, 2006

All Hallow Even

O nome acima nada mais é que o tradicional Halloween, em sua forma extensa. Ou como alguns protecionistas da cultura brasileira sugerem, o DIA DO SACI. O fato é que o tal "dia das bruxas" é o meu dia preferido no ano. Sempre gostei de esculpir a abóbora, ir a festas temáticas e toda a atmosfera tétrica do dia. Uma vez, me empolguei com a fantasia. Quando as inocentes criancinhas vestidas de vampiro iam na minha porta atras de doce, saíam correndo ou choravam ao me ver. Eu dava medo... Mas essa era a intenção! hahahahahahaha

Halloween vem de All Hallow Even; a "Tarde de Todos os Santos"; a noite que antecede o "Dia de Todos os Santos". Também é conhecido como Oíche Shamhna, na Irlanda, Calan Gaeaf no País de Gales e Allantide na Ilha de Man (logais onde, teoricamente, ela se originou). Tratava-se de uma festa pagã até o ano de 835 quando primeiro de novembro foi declarado como "Dia de Todos os Santos". Porém a tradição pagã que acredita ser o 31 de outubro um dia em que os mortos fazem contato com os vivos e no qual poderes mágicos trabalham com mais força permaneceu, mesmo com a influência católica medieval. Os celtas não deixaram de celebrar seu "dia dos mortos". Com a imigração, principalmente escocesa e irlandesa para a América do Norte, a tradição chegou ao Novo Mundo.

Para muitos anti-americanos, falar em Halloween no Brasil é praticamente uma heresia. Eles vêm na festa mais um indício de domínio cultural Yankee. Sugeriram criar o Dia do Saci, que seria o Halloween brasileiro. Talvez por falta de pesquisa, eles não tenham notado que Halloween não é exatamente uma invenção americana. É mais antigo que o Estados Unidos. Estes apenas fizeram o favor de divulgar. E se o Brasil é mesmo o "país das misturas", por que não abraçar mais um aspecto cultural de fora?

Um dia mal assombrado para todos!! =D
Have a ghoulish day!! =D
Photobucket - Video and Image Hosting saci
Exemplo de intercâmbio cultural. Saci ensinando a abóbora a fazer embaixadinhas!
Após a foto, o Saci caiu.

sexta-feira, outubro 20, 2006

Weather Talk

RAINDROPS KEEP FALLIN ON MY HEAD...

The weather is known to be one of the dullest topics for any conversation. However, due to the uniqueness of the weather in Brasília, I decided to drop some lines about it.

A friend of mine described our weather in such a poetic way... "We have sunlight bringing us warmth in the mornings and raindrops caressing our nights." Poetic indeed. Never would I view our climate in such a sweet manner. Not that I dislike it, far from that, I find it most pleasant. The only thing is that my perception is a little more apocalyptic.

Brasília is famous for its dry season. Most foreigners complain about the dry climate, hot air, lack of wind, rain, nosebleeds, coughs, red dust all over the city... I could not agree more. It is definetly a very annoying period of the year, lasting from august to early-october, where the temperatures reach their top. After that, enters the poetic rain season she was mentioning, lasting from october to february... My favourite part of the year, for that matter.

However, how poetic that season is can be widely discussed. When they come back from the plains (Brasília sits atop of a plateau), rainclouds seems willing to mesmerise us with an awesome display of Mummy Nature's strenght. They look thick, heavy, dark and menacing. Bolts of lighting tear up the skyes, producing deafeng claps of thunder as to anounce the upcoming tropical storm. As the rain falls, heavy waterdrops cover the city as a gray veil. Many trees cannot stand the heavy load of water and strong winds and simply break in two or fall to the ground. During this time, it is wise not to park cars underneath trees or one might find some unwanted piece of lumber resting peacefully across the windshield.

As strange as that may be, all that destructive power has some paradoxal beauty attached to it. Reason why so many of us just cannot get enough of this bloody rainy season. Needless to say, after the rainfalls in the late afternoons we are rewarded with the most beautiful sunsets as the yellow cloudy skyes slowly turns to purple, welcoming an enormous golden moon in the night. Having seen sunsets in oh-so-many places, I can assure this city is gifted with the best skysights ever!

Seems there is some poetic destruction after all... =)


Photobucket - Video and Image Hosting ponte jk
Golden moon token!


Photobucket - Video and Image Hosting por-do-sol
Stormy yellow sky souvenir!

segunda-feira, outubro 16, 2006

BMW

Na cidade de Montreal, o BMW é provavelmente o meio de transporte mais usado entre a população. BMW não significa o conhecidíssimo automóvel alemão, bem "popular" por lá, mas sim a Santíssima Trinidade da locomoção, a saber, Bus-Metro-Walk. Você anda, pega um metrô, um ônibus, anda e chega. Nada mais prático.

Infelizmente, quando eu estava sendo produzido lá no céu (espero), Deus olhou pra baixo... viu um ônibus... olhou pra minha cara... uma luz brilhou e Ele disse "Onibus e Raphael jamais se darão bem." Posso ter um amplo conhecimento sobre os temas mais inúteis, mas nunca soube pegar ônibus. Amo metrô. Odeio ônibus. Simplesmente não dá certo comigo.

Em Montreal, eu não me importava muito com ter de usar esse transporte. Na maioria dos pontos havia um mapa da região, indicando a rota pela qual determinado ônibus iria passar. Ao lado, um painel indicava o horário de cada ônibus. Para facilitar ainda mais a minha vida, 99% dos ônibus tinham escrito em letras garrafais, na frente, a estação de metrô para a qual se dirigiam. Em todos os pontos, havia uma placa com o número do ônibus e a estação de metrô respectiva. Eu não me confundia. Era quase um metrô sobre rodas. Por isso gosto tanto de metrô. As informações são abundantes; sei exatamente pra onde estou indo.

Em Brasília, desde 1997 eu não pegava um ônibus. Nunca entendi direito a lógica por trás dos ônibus daqui, se é que existe alguma. Hoje resolvi me aventurar, começando pelo mais fácil. Fui até o ponto na 213 Sul. Meu destino era a 208 Sul. Linha reta. Não tem erro. Cheguei na 213 por meio de uma daquelas obscuras e pixadas passarelas que passam por baixo do Eixão. Lá dentro, meio dia vira meia noite e o cidadão deve evitar olhar demais para quem cruza seu caminho. Uma vez na quadra, fui até o primeiro dos três pontos em frente ao Templo da Igreja Universal. Tou com Deus-pensei. Deus que me fez avesso a ônibus.

Eram três pontos e nenhuma informção sobre o destino do que pararia naqueles pontos. Por que não colocar uma placa com a rota dos ônibus ou alguma informação legível para um cara onibusmente inculto como eu? Ah! Lembrei... Placas informativas não costumam durar muito por aqui. Acabam pixadas, na melhor das hipóteses. Mas tá, isso é outro detalhe!

Três ônibus passaram e me deixaram a ver navios. Devia estar no ponto errado, mas, como saber? O quarto ônibus chegou e a porta se abriu. Perguntei se iria passar na 208. Também se não passasse já era tarde por que ele já estava andando quando terminei a pergunta. Lembrei um detalhe que eu não gostava em certos ônibus. Ter que ficar perguntando coisa. Homens não são geneticamente preparados para pedir informações. Após terminar a pergunta, lembrei do meu segundo fator anti-ônibus: os impulsos de velocidade. Na primeira arrancada, não consegui segurar e quase me espalhei no colo do motorista. Meu guarda chuva por pouco não acerta um menino que me olhava sem entender a cena. Paguei minha entrada e o ônibus parou no próximo ponto, me jogando como uma jaca em cima de uma senhora. Pedi desculpas. Perdi minha saída enquanto me recompunha. Desci uma estação depois, meio quebrado, com o cobrador me ensinando "Ô CAIPIRA, É POR TRÁS QUE DESCE!!!"

De que adianta ir contra a vontade de Deus? O "B" do BMW definitivamente não foi feito pra mim...

quarta-feira, outubro 11, 2006

PV - Post Verde

Duas coisas me levaram a escrever esse post, que foi descaradamente ultrapassado pelo GIGANTIC FLY! Primeiro, a notícia de que o Partido Verde iria acabar. Segundo, o Jabor falando na rádio que até o infalível Papa admitiu que às vezes erra e que isso era sinal do fim dos tempos, uma vez que o planeta estaria sendo destruído por nós mesmos e nossa poluição.

Pelo que eu tenho lido, o Partido Verde não irá acabar. Terá 13 cadeiras na Câmara. Chamo atenção para o fato da irrelevância desse partido, no País-Verde, nas vésperas do fim do mundo por colapso ambiental. Na Europa, os Partidos Verdes têm uma grande importância na maioria dos países. A questão ecológica ocupa um lugar relevante nos debates políticos. Outro dia vi na TV5 que a Suécia está se preparando para se tornar totalmente independente de petróleo na área energética nos próximos 10 anos. Os combustíveis devem ser substituídos por etanol, sintetizado a partir da fermentação do trigo. Já em 2007, 50% dos postos de abastecimento do país deverão oferecer gasolina e etanol. Ao contrário do álcool no Brasil, o etanol sueco chega a ser 50% mais caro do que a gasolina. Mas em nome do meio ambiente, está sendo um sucesso, por poluir menos. Me chamaram a atenção para o fato da mesma Suécia ser uma das grandes compradoras da emissão de gás carbônico do Brasil, mas não acho que isso seja contraditório com o engajamento ambiental.

A diferença que eu vejo entre Europa e Brasil nesse sentido está na educação. Aqui, vejo campanhas para salvar mico leão dourado e preservar a Amazônia. Rendem mais slogans que resultados pertinentes, aida que hajam MUITAS extremamente bem sucedidas, dentre as quais o Projeto TAMAR. No Brasil, raramente ouvi falar de ecologia na escola, tirando os clássicos ensinamentos da boa conduta ambiental (não jogar lixo nas ruas e derivados). Em 1990, estudei em uma escola pública na Bélgica. Tivemos um "mês ambiental". Com 10 anos, aprendi a separar o lixo da escola; o que era orgânico e o que não era; o que deveria ser reciclado e o que não deveria; métodos para produzir menos lixo... Isso estava a anos-luz do que eu tinha estudado no Brasil. Enquanto por aqui a gente falava em ecologia, por lá a gente praticava.

Mas isso não importa, por que o mundo vai acabar.

quinta-feira, outubro 05, 2006

The Brazilian Gigantic Fly

Due to the lack of comments in the later posts, I decided it was time for some sensationalism. Many of you might wonder what kind of little animals we have in a tropical country such as Brazil. The heat, combined with a generous quantity of food has made the evolution line go in rather strange directions, for some species.

It is the case of the GIGANTIC ANTROPOPHAGIC FLY, shown in the picture bellow. Those gargantuan monsters come out of hollow trees in springtime to feed upon living creatures. They find human flesh to be particularly tasty! Its favoured habitat is the Central Plateau, specially around the capital, Brasília. One must be very careful this time of the year as not to leave windows or doors open, and not to leave between 5AM - 10 AM; their feeding time. Cases of people waking up with an arm missing are not uncommon during this season. I heard a team from the Discovery Channel tried to film those things but they were all devoured. Nothing but bones remained.

In order to take this picture, I had to disguise myself as a cactus.

Photobucket - Video and Image Hosting cigarra
Here is a very rare sight of a GIGANTIC FLY. I took a photo of an Oompa-Loompa who works with me to compare sizes.
.
.
.
.
.
.
.
.
.



Ok... So... This is not really a Gigantic Fly. Tatiana, a friend of mine who is very interested on cicadas (also known as locusts and harvest flies, measuring about 10 cm) brought up the idea of writing about it, after we talked a long time about the noisy creature on MSN...
Today, I woke up at 5h30 with the first rays of the sun and a cicada's orchestra. One cannot imagine how noisy they are untill they sleep in a building surrounded by trees crawling with those bugs!
I believe cicadas to be the second dumbest creature to live, losing the first place to a suicidal insect called "Hallellujah" here in Brazil (maybe I will write something about them in the near future). Cicadas are fat, big, noisy and extremely awkward. They fly untill they hit some stupid wall and then scream untill death... Now how's that for a lifetime?
Before I finish, I just want to point out that Gigantic Flies do not exist. Neither do the Oompa-Loompas.

segunda-feira, outubro 02, 2006

Das eleições.

Foi 1989 meu primeiro ano eleitoral. Já naquela época, achava o máximo assistir ao horário eleitoral gratuito, mesmo sabendo que este iria atrasar a Armação Ilimitada, que não poderia ser vista pois 23h era "hora de criança dormir". Meu conhecimento político na época se limitava a xingar o Collor de ladrão, mesmo sem entender muito bem por quê, acusar Brizola de utópico, Lula de comuna e acreditar que a salvação da pátria estava nas mãos de Mário Covas, pq achava ele gente fina.

As eleições de 2006 foram aquelas em que estive mais distante dos acontecimentos. Não assisti aos programas políticos, com exceção de umas breves difusões na rádio. Até a última semana, mal sabia quem estava concorrendo a quê. Após uma pesquisa intensa, no último dia, decidi por alguns números.

Apesar da minha distância anormal dos fatos, sempre tem alguma coisa que chama bastante atenção, sejam candidatos, acontecimentos, propagandas... Reuni aqui algumas delas.

- SALVE A AMAZONIAUm candidato cujo nome não irei me lembrar agora, fez uma propaganda ultra-ecoológica, chamando atenção para a criação de parques, purificação do ar... Seu "santinho", deixado no vidro do meu carro, não tinha foto dele. Com cores vivas, achei até que fosse convite para alguma festa. Atrás, a mensagem: Não deixe que destruam nossa amazônia; e uma foto de uma floresta de coníferas típica da América do Norte (wtf???). Poderiam ter colocado uma foto do deserto de Kalahari, seria mais impactante.

- PRENDERAM O RASPUTIN!!!
Marcão de Rodoviária, já citado nesse blog, foi pego fotografando o próprio voto. Considerado como "boca de urna", nosso russo-morcegão (ele aparecia de cabeça pra baixo na TV) foi parar na delegacia. Aposto que foi premeditado! Quem diria... Prendam ele e morrerão!!!

- CANDIDATOS PELA JANELA
1h da manhã, no Cruzeiro. Uma VAN (odeio van) passeava tranqüilamente pelas ruas enquanto um caboco atirava santinhos de candidatos variados pelas janelas. Não atirava um. Sacudia um sacolão, enchendo a rua de papéis. Em pouco tempo, aquilo ficou partecendo a SAPUCAÍ depois do desfile das escolas de samba. Ouvi dizer que são os cabos eleitorais que, muitas vezes sem o candidato saber, pagam a essas pessoas para jogar na rua o excedente. Duvido muito que o pessoal da Van faça a sujeira por diversão. Propaganda deve ser direcionada a alguém. Aquilo ali não era propaganda eleitoral. Era jogar lixo pelas ruas. Acho que a lei deveria ser mais rigorosa nesse sentido.

- HÓRÁRIO ELEITORAL MUST SEE!!!
* O candidato que fala de um caixão para os aposentados. No fim ele "morre" de novo;
* O canditato que foi ao debate vestido de Sheik;
* Marcão da Rodoviária falando de cabeça para baixo;
* Clodovil falando mole;
* O distinto senhor que fala balançando a mandioca (pensou besteira, né???).
* O 1230, hora do almoço
* Rei Momo; quem tem juízo vota Rei Momo; quem não tem vota também!
* E finalmente, CURURU DEPUTADO FEDERAL, que pode ser visto no YouTube!

- ONDE VAMOS PARAR?!
Collor foi reeleito. Maluf foi o deputado mais votado. Tirem suas próprias conclusões.

Lembranças a todos!
Dom Rafa, ansioso por 2010!

Próximo Capítulo: PV-PostVerde
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...