segunda-feira, novembro 13, 2006

Picanha é do mal; Quiabo é do bem

Bhaktivedanta Swami Prabhupada é um sorridente guru indiano, dentes escurecidos pelo betel, um "V" branco pintado na testa. Em seu livro da "Consciência Krsna", que a minha mãe comprou de algum HareHare num semáforo, ele sustenta que "Os homens devem comer vegetais, pois a carne é um alimento orgânico sujo, putrefato e decomposto". Ao matar um animal para comer, estamos ingerindo junto com sua carne toda a sua energia negativa; seus ultimos sentimentos de pavor ao ser abatido. Na mente do homem, nada faz mais sentido.

Se repararmos, expressões carinhosas nos associam a legumes. Expressões não-carinhosas costumam ter um cunho até mesmo antropofágico. No Brasil, temos o célebre "meu chuchu" ou o ultrapassado "meu broto". Tudo vegetal. Já ao dizer "que filé" para uma mulher, esta corre o risco de se ofender, ao se ver reduzida a um pedaço de carne para churrasco. O mesmo vale para as expressões "mon chou" em francês e "my pumpkin" em inglês; o vegetarianismo, novamente impera.

A carne (subjetivamente) volta a ser negativa em expressões como "estou frito!", "vão me comer vivo!" ou ainda "Mané, esquece essa mulher... Ela só está te cozinhando!" - carne humana frita, crua e cozida. A título de observação antropológica (experiência de campo), já chamei uma namorada de minha maçã e de minha picanha. Ela me olhou feio com o segundo apelido. BEM FEIO. De certa forma, Prabhupada tinha razão. Entre pessoas, a carne está mal cotada. Entre eu e meu prato, já é outra história...

5 comentários:

Anônimo disse...

A-DO-REI!! E eu ser metida a nutricionista é pura coinscidência...hehe!!
Bjo, Alê

Anônimo disse...

Rapha Querido, Deixando as questões religiosas de lado, acredito que exista realmente um certo 'preconceito' com relação aos alimentos sim, concordo plenamente. Todos nós sabemos que ter o hábito de comer vegetais é bastante saudável, isso é incontestável. Por outro lado, cientificamente não está comprovado que os vegetarianos, nem mesmo os mais radicais tenham
longevidade maior que qualquer simples mortal. Bom , assim sendo, melhor é não resistir aos prazeres da carne (no bom sentido)hehehehe, mas sem exageros. Afinal, sendo do bem ou do mal 'Quem resiste a uma bela picanha?' Pelo menos a vida fica mais gostosa! Parabéns pelo texto, muito bem bolado! Beijos e Saudades, Cristianne Diak

Juliana Toledo disse...

Rafinha muito bom. Sabe que você tem bastante razão? Nunca havia associado a carne como algo tão pejorativo...mas no fundo no fundo é verdade...mas mesmo assim...ainda fico com as carnes para a alimentação. E quanto aos apelidos carinhosos fiquemos com o MON CHOU!!!!

Juliana Toledo disse...

ahahaha mon chou
com certeza foi com você que aprendi aquelas informações...rs...
mas não podia colocar né???
Este era um trabalho da facul e não cabia citações, mas pode deixar que você será citado em meu blog
:)

Ed disse...

hahah onde vc encontra inspiracao pra isso?
"Minha picanha" hahaha acho q nao escutaria isso nem nos CDs de musica brega Nordestina da Swick.
Muito bom!! :D
Vc devia tentar publicar essas coisas em alguma coluna de jornal ;)
Viva o Prabhupada (spelling?) :D

Abracos,
Ed

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...