quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Imagem Turística

Há cerca de um mês, recebi um e-mail falando do filme "Turistas". Aparentemente era uma produção Grande-Satânica, como diriam os aiatolás para acabar com a imagem do Brasil. Com tantas mensagens de ódio e pedidos de boicote, resolvi dar uma de rebelde e fui ver os tais TURISTAS.

Primeira má notícia aos nacionalistas de plantão preocupados com a nossa imagem lá fora: a tal imagem tende a ser pior do que o mostrado no filme. Brasil é o país do BBB; Bola, Bunda e Birita. Isso tudo é imaginado num cenário de selva, onde cidades como o Rio de Janeiro não passam de favelas onde homens, macacos e serpentes convivem em relativa harmonia. Carros dos anos 50 circulam pelas ruas sem asfalto por entre urubus e mendigos leprosos. A mulher brasileira representa o máximo da sensualidade e da promiscuidade. Nenhuma se veste com muito pano e todas são eternamente CALIENTES, afinal, aqui se fala espanhol. Os homens brasileiros usam roupas espalhafatosas, são malandros, trapaceiros e loucos por futebol. Como ao menos nosso povo é caloroso e acolhedor, todos esperam ser tratados como reis por aqui, ao chegarem cheios de dólare$. Essa é a imagem que muitos estrangeiros têm e eu fui testemunha!

Segunda má notícia é que a nossa boa imagem, se é que esta existe de fato (ainda não perdi as esperanças de encontrar no estrangeiro uma imagem realista do Brasil), é que nós mesmos não contribuímos muito para tanto. Sejamos honestos. Um garoto arrastado no Rio de Janeiro e, duas semanas depois mulatas rebolando no Carnaval da mesma cidade, numa efêmera ode ao "ninguém é de ninguém" é muito confuso para a cabeça de um gringo civilizado.

"Turistas" não traz nada de novo para a nossa imagem lá fora. Futebol, mulheres fáceis, natureza exuberante e praia. Dentro do estereótipo, isso é o que temos a oferecer. No filme, o assassino age como um Robin Hood dos açougues. Tira as entralhas dos ricos (que fizeram isso com o nosso ouro) para doar aos hospitais públicos. Ao menos o assassino tem coração (mais de um! ha ha ha). Quase me comovi. Os bandidos, porém, ficariam revoltados com o filme. Mancha toda a imagem da bárbara bandidagem nacional, onde órgãos de turistas seriam no máximo doados aos cachorros. No mais, o filme tem péssimas atuações, o que faz com que ele caia no ridículo. Desde o ônibus "Rapidão", que mais parece saído de um Magical Mistery Tour, até as falas dos bandidos em inglês permeado de palavras em portugês.

Falando no Rapidão, ali ocorre um dos momentos mais interessantes do filme onde um desenho pornográfico no banco dá boas vindas aos turistas. "Isso tem que ficar registrado para a posterioridade", diz a entusiasmada turista que nunca viu um desenho tão criativo na vida dela. Brasil também é arte! Agora, fico aqui sentado aguardando o resultado das escolas de samba do Rio e um Turistas 2: Inferno em São Paulo, Turistas 3: Carnificina em Recife, Turistas 4:Salvador em Fatias... Temos material suficiente para inúmeras sequências turísticas...

Um comentário:

Anônimo disse...

Você só esqueceu de comentar sobre a véia que diz: " Come aí minha filha" quando eles são encontrados por um nativo ao final do filme. E é , claro, sobre a " nada a ver" música da Adriana "Partimpim" para terminar o filme!
Adorei o comentário Bjussss
Dan

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...