domingo, janeiro 31, 2010

Contabilidade amiga

orkut versao neon

Em 2004 eu entrei pra esse tal de Orkut, aprofundando a virtualização da minha vida. Por mais que alguns não aceitem, hoje a vida virtual de uma pessoa se confunde com a real. Ela tem que cuidar do trabalho, mas não pode deixar a plantação do Farmville secar! E cada vez mais os conceitos se confundem.
Dito isso, a velha agenda telefônica ganha como concorrente de peso: a lista de contatos do e-mail. E passamos a controlar nossos amigos pelo Orkut. Aí não sei se acontece com todos ou já é alguma neurose virtual inerente à minha pessoa, mas os números do Orkut são objetos da minha constante atenção. Eles oscilam. E, quando eu vou dormir com 215 anigos e acordo com 210, isso me deixa preocupado! Será que durante a noite eles se deram conta de que eu sou muito chato e deixaram de ser meus amigos? Será que foram abduzidos? E, mais importante, quem foram os 5 que me abandonaram? Não tem como saber! Entre tantos Buddypokes, Farmvilles e outras funções mirabolantes, não há uma que diga "Raphael, seu amigo "X" saiu do Orkut. E nem se despediu". Me ajudaria a manter contato com os virtualmente desaparecidos. Me deixaria, virtualmente, menos carente.

quarta-feira, janeiro 27, 2010

Como fazer um Tzatziki?

Acho que até hoje eu nunca postei aqui uma receita. Já escrevi/coloquei aqui um pouco de tudo; viagens curiosas, desenhos idiotas, fotos ridículas... Chegou a hora de um post Anamariabraguiano. Dito isso, hora de fazer um TZATZIKI.

Na virada do ano, optei por fazer uma pasta e levar para a casa do meu amigo (junto com uns queijos exóticos). Achei que seria mais interessante do que comprar a tradicional pasta de alho da Belini. Assim, resolvi fazer um tzatziki (cacic em turco). Trata-se de uma pasta de sabor refrescante, muito usada na culinária da região leste do mediterrâneo (Grécia, Chipre, Turquia, Croácia...) com algumas variações locais. Normalmente é usada como molho para carnes (especialmente de carneiro). Anormalmente, usada para passar no pão sírio, como foi o caso no ano novo. Sem mais histórias, passemos ao HOW TO...

Para fazer um inesquecível tzatziki você vai precisar de:

  • 2 pepinos médios
  • 2 potes de iogurte natural (quanto mais grosso melhor - usei das marcas Itambé e Batavo)
  • 2 dentes de alho
  • Folhas de hortelã a gosto MUITO PICADAS (usei umas 10 folhas)
  • Pimenta do reino a gosto
  • Sal a gosto (usei sal grosso moído; acho que dá um sabor melhor)
  • 2 Colheres de sopa de suco de limão
  • 1/2 Colher de sopa de azeite de oliva (mais se você amar azeite de oliva...)
  • Zaatar (quantidade indefinida)
- Primeiro, você vai lavar e descascar os pepinos.
- Corte os pepinos em cubos os menores possíveis. Para isso, cortei o pepino em blocos e usei um picador de cebola. Não use moedor ou similares pois aí você terá um SUCO de pepino e a consistência não ficará boa. Idem para cubos muito grandes.
- Coloque o pepino em uma peneira para escorrer por um bom tempo (tipo umas 2 ou 3 h), para a pasta não ficar aguada. A peneira deve ficar sobre uma panela.
- Os 2 potes de iogurte devem ficar na geladeira, em uma vasilha separada. Novamente, você não quer uma pasta aguada! Então é uma boa idéia verificar a consistência desse iogurte. O truque para diminuir a umidade (ainda bem que eu não matei essa aula de física) é usar um papel toalha. Faça um (ou mais) rolo(s) com uma folha e coloque uma extremidade dentro da vasilha. Aos poucos, a água será sugada (usei 2 folhas para isso). O mesmo pode ser feito com o pepino para acelerar o processo.

Enquanto espera o pepino e o iogurte ressecar, soque os dentes de alho e pique as folhas de hortelã. Pode também ver Faustão ou fazer palavras cruzadas durante a espera... Passado o tempo, é hora de misturar os ingredientes.

- Pelo tempo, os papéis-toalha devem estar totalmente molhados, e não só as extremidades. Descarte-os; não entrarão na receita.
- Junte na vasilha o pepino e o iogurte e mexa bem.
- Adicione o alho socado, a hortelã picada, o sal, a pimenta, o azeite e o suco de limão nas proporções sugeridas. Mexa bastante para misturar o azeite.
- Para finalizar, coloque o zaatar por cima. Dá um gosto bom e enfeita. Pode também ser colocado um ramo de hortelã para enfeitar (coloquei bastante, de forma a criar uma fina "capa" de zaatar sobre a pasta).

* Zaatar é uma mistura de ervas secas com gosto forte, muito usada na parte mediterrânea do Oriente Médio. Normalmente não está na receita do tzatziki, mas como eu gosto, resolvi acrescentar. Embora pouco conhecido, não é difícil achar esse ingrediente em supermercados e lojas de culinária mais especializadas.

Espero que gostem! =)

terça-feira, janeiro 12, 2010

Fazendo gracinha no Japão - Parte 1.

Era inevitável a "pagação de mico". Em um país de costumes tão diferentes, você acaba passando por situações incômodas.

Assim que cheguei por lá, fui visitar um templo perto de onde eu estava, no parque Yoyogi. Na entrada, você deve se purificar com água ou fumaça de incenso, ir até o altar, bater três palmas para acordar o Kami, fazer três reverências (não sei se exatamente nessa ordem) e por fim, fazer o pedido. Nesse templo, a purificação era feita por água.

Primeiro, com a mão direita, você pega a concha de madeira e lava a mão esquerda com 1/4 da água. O outro quarto, será usado para lavar a mão direita. Com as mãos limpas, mais 1/4 da água é colocado na mão direita pra lavar a boca. Enfim, o último 1/4 é usado para lavar a própria concha, em respeito ao próximo usuário.

Ok. Fiz tudo certo. Mas... Peraí... E esse 1/4 de água benta na minha boca?? Eu era o único ali no estágio da boca. Já tinha lido que no Japão cuspir é uma ofensa terrível-o que eu acho que deveria ser adotado aqui; odeio quem escarra na rua. Então... Sem ver lugar pra cusparadas, engoli a água benta. Depois, examinando a mecânica local, vi que a água benta era RECICLADA! A água não era exatamente "corrente" o que significava que eu fora purificado com impurezas das mãos de milhares de japoneses e turistas...

Na verdade, a água é cuspida discretamente na base da fonte. Cuspir é feio, mas no templo pode. Só que ninguém me avisou...

terça-feira, janeiro 05, 2010

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...