terça-feira, janeiro 12, 2010

Fazendo gracinha no Japão - Parte 1.

Era inevitável a "pagação de mico". Em um país de costumes tão diferentes, você acaba passando por situações incômodas.

Assim que cheguei por lá, fui visitar um templo perto de onde eu estava, no parque Yoyogi. Na entrada, você deve se purificar com água ou fumaça de incenso, ir até o altar, bater três palmas para acordar o Kami, fazer três reverências (não sei se exatamente nessa ordem) e por fim, fazer o pedido. Nesse templo, a purificação era feita por água.

Primeiro, com a mão direita, você pega a concha de madeira e lava a mão esquerda com 1/4 da água. O outro quarto, será usado para lavar a mão direita. Com as mãos limpas, mais 1/4 da água é colocado na mão direita pra lavar a boca. Enfim, o último 1/4 é usado para lavar a própria concha, em respeito ao próximo usuário.

Ok. Fiz tudo certo. Mas... Peraí... E esse 1/4 de água benta na minha boca?? Eu era o único ali no estágio da boca. Já tinha lido que no Japão cuspir é uma ofensa terrível-o que eu acho que deveria ser adotado aqui; odeio quem escarra na rua. Então... Sem ver lugar pra cusparadas, engoli a água benta. Depois, examinando a mecânica local, vi que a água benta era RECICLADA! A água não era exatamente "corrente" o que significava que eu fora purificado com impurezas das mãos de milhares de japoneses e turistas...

Na verdade, a água é cuspida discretamente na base da fonte. Cuspir é feio, mas no templo pode. Só que ninguém me avisou...

6 comentários:

Gabrielle Avelar disse...

Bem eu já havia lido isto no post que fez quando visitou este templo... Devo confessar que ri muuuuuito de você, coitado!
Mas, certamente, eu teria feito a mesma coisa - e se eu escrevesse nos meus Blogues, com certeza seria você a rir de mim. Nada como ter um amigo virtual que viaja antes de nós para contar como é. Pena que, para isto, tenha tido de "pagar alguns micos!"
Beijo, Rafa!

Dom Rafa disse...

Já escrevi isso? Isso que dá escrever de madrugada... Já no início da viagem, decidi que os micos seriam escritos à parte. Bom... Tenho certeza de que o outro post foi sobre o templo. Esse foi sobre o mico. ;)

Flávia Escarlate disse...

Desculpe, rapazinho, mas não tive como não rir com essa sua experiência purificadamente impura ou impuramente purificada...rs
Você foi demonstrou muita coragem e respeito pela cultura japonesa! Adoro ler suas aventuras, sabia? Espero um dia ler alguma sobre você aqui no Norte! Saiba que já tens uma guia turística à disposição! :)
Beijinhos!!!!!!!!!!!!!!

~ A grassland girl~ disse...

Happy New Year! All the best!

Elisa Avelar disse...

Amei a sua história. Ri mesmo.
PAssando por aqui para conhecer o blog.
Gostei. De verdade.
Altas histórias...
Cheguei através do blog da Gabi Avelar.
Abraços.

Dom Rafa disse...

@Elisa Obrigado pela visita! =)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...