quarta-feira, maio 12, 2010

"Comer & Beber 2010/2011", por um comilão

Todo ano chega a minha casa o que eu chamo carinhosamente de "A Bíblia da Comida". Trata-se de uma edição especial da revista Veja em que várias pessoas votam no melhor "lugar-para-comer", em diversas categorias. Com este guia nas mãos, fico sabendo de possíveis locais interessantes pra ir em um sábado à noite. Quem me conhece sabe que eu AMO comida. Ciente de que a Veja não deve me chamar para ser júri nos próximos anos, resolvi fazer minha própria lista. Um "B-Side"da Veja. Com a palavra, não um chef ou uma celebridade da capital, mas um reles gourmand.

(Veja) Café: Vanilla
(Pepperman)- Cafés em Brasília são bem equivalentes, na minha opinião. Fico entre o Quitinete e o Blenz, em frente ao Vanilla.

Creperia: C'est si bon
- Minha escolha é fácil nessa categoria. Não gosto muito de crepe. Com uma exceção: "La Crêperie". Para mim, de longe, é a melhor.

Doceria: Daniel Briand
- Também não gosto muito de doces... Sem voto.

Empório Gourmet: La Palma
- La Palma!!! Comprei um curry importado da Índia maravilhoso! Sempre acho algo interessante por lá.

Padaria: La Boulangerie
- Com um voto orientado por puro bairrismo; Belini.

Salgado: Sweet Cake
- Empada Carioca. Mas só para pedir empada (cuidado, ela vem quente)! Outro salgado maravilhoso é o folheado de queijo com palmito da Casa do Pão de Queijo.

Sanduíche: Marvin
- Hum... Muito bom, mas recentemente apareceram uns árabes pela cidade. Tem o sanduíche do Sadek na Feira do Jack Sparrow; o mais "árabe" dentre os árabes, e o Hayal Kebab, mais bem elaborado. Meu voto fica com o Hayal, pois além do sanduíche, que é muito bom, o atendimento sempre foi excelente (coisa rara em Brasília) e eles servem "lassi", uma bebida muito refrescante, a base de iogurte, ideal pra quando eu saio de um dia de sol no clube...

Sorvete: Saborella
- Parmalat

Suco: Bendito Suco
- Suco?? LASSI!!! Ver acima!
-----------------------
Boteco: Beirute
- Por "Boteco" eu entendo um lugar barato, bom e levemente pé-sujo. Unanimidade entre eu e meus amigos, a Pastelaria Rossoni reina absoluta nessa categoria e faz qualquer Beirute correr e se esconder atrás da porta, por mais que pese a tradição. No Rossoni, você tem direito a carne de sol na chapa, boiando na manteiga, pastéis MEGA-recheados (ainda não achei em Brasía pastel com mais recheio), boa variedade de sucos e petiscos e mesas de plástico num chão de brita. Consumir com moderação...

Chope: Bar Brasília
- Sem dúvida, o Bar Brasília tem o melhor Chope... Porém, eu adicionaria aqui o Outback só porque eu adoro ver aquela caneca branca de tão gelada chegando à minha mesa.

Cozinha: Boteco
- Bar da Brahma. Achei o cardápio deles bem interessante.

Música ao Vivo: Gate's Pub
- Gates!

Para ir a dois: Rayuela
- Algum lugar com vista pro Lago, longe das multidões do Pontão.

Para paquerar: Calaf
- Nesse sentido, estou meio desatualizado. Mas há uns anos atrás, lembro que a Cachaçaria Água Doce trazia bons frutos (o MoJo era forte por ali).
-----------------------
Brasileiro: Mangai
- Xique Xique. Não me canso de comer lá e nunca me decepciono.

Carne: Fogo de Chão
- Sou altamente carnívoro. E fã do BSB Grill.

Cozinha contemporânea: Aquavit
- Infelizmente, as cozinhas "contemporâneas" estão, via de regra, fora da minha realidade orçamentária. Só de falar em Aquavit, Gazebo e Babel; com a certeza de uma conta com mais de dois dígitos; minha carteira se esconde em baixo da cama. =(

Francês: Alice Brasserie
- Nunca comi em um restaurante francês em Brasília.

Ibérico: Sagres
- Não sou um grande apreciador da culinária ibérica... Pra não deixar o tópico vazio, os melhores bolinhos de bacalhau eu comi no Xique Xique e no Bier Fass do Pontão.

Italiano: Trattoria da Rosario
- Spaghetti com Bottariga da mamãe. Scuzi, Rosario!

Japonês: Kosui
- Em vez de escolher um japonês, prefiro criar uma categoria "Asiáticos" e escolher o Pan Doo, que nem na Veja está. É um restaurante novo e escondido, no estilo "Asian Fusion" com pratos inspirados na culinária do Paquistão pra direita. Grande variedade de sabores, preços em conta e uma certa "originalidade" justificam minha escolha.

Peixes e Frutos do Mar: Bargaço
- Minha dica: lula ao alho e óleo no Retiro do Pescador. Não sou um grande apreciador de frutos do mar. Exceto quando o assunto é lula!

Pizzaria: Fratello Uno
- Não-Rodízio, tem a Don Giovani no Lago Sul e a Baco. Agora, quando estou com vontade de rodízio, vou para a Sicili. Certa vez li em um adesivo no Hooters: Pizza is like sex. When it's good, it is very good. When it's bad, it is still very good. Concordo plenamente.

Variados: Piantella
- Resta saber o que o povo da Veja quer dizer com "Variados". Pode tudo?? Entre os votados, estava a Forneria Baco, aberta há pouco tempo no Park Shopping. Com um buffet interessante e leve e as pizzas da Baco acompanhando, não fica difícil escolher.

Bom e Barato: Roma
- Novamente, o Xique-Xique aparece na minha lista. Em dias de fome empolgada, eu e meu irmão íamos pra lá, comíamos MUITA comida, levávamos pra casa o que sobrasse, bebíamos e a conta (serviço incluído) não chegava a 50 reais! 0_0 Depois dormíamos a tarde toda, com a consciência leve, em oposição ao estômago.

Chef do Ano: Simon Lau Cederholm
- Pra votar aqui, só com uma pesquisa muito rebuscada (que eu obviamente não fiz).

Carta de Vinhos: Dom Francisco.
- Sair comparando cartas de vinho seria algo totalmente antieconômico para a minha existência...

~@ Bon apétit!!!

4 comentários:

Gabrielle Avelar disse...

Rafa, meu querido...
Amei este post. Sabe, todo ano eu fico à espera - não sem uma ansiedade - do Guia Bsb da Veja.
Mas, só de pegar no desse ano fiquei aborrecida com o fato de estar mais fininho. Bom, espero que seja apenas por ser um pouco menos de propaganda... Não tive muito tempo de folhear a minha.
Bom, eu concordo com algumas indicações - tanto da revista com suas.
Eu sou louca, por exempolo pelos sorvetes da Parmalat. Acho que o sorvete de pistache de lá é imbatível. Nunca comi algum que fosse melho. Já até estive em restaurante francês em Brasília. Mas, infelizmente, fechou.
Amooooooooooo o Daniel Briant. E o Mangai também. Agora, nunca fui ao Beirute, por exemplo. E, confesso, não tenho a menor vontade de conhecer. Sou fã do Bar Brasília. E do Boteco. E do Bar do Mercado.
Também tenho meus lugares favoritos que não troco por nenhum favorito de revista alguma.
Agora, Rafa, covardia com a Trattoria Da Rosário, não acha?
Afinal, comida de mãe é imbatível. Mesmo que seja um pão com ovo.
Aliás, por falar em pão, concordo com você em gênero, número e grau: Beline para sempre!!!
E a La Palma?
E a Quitinete? O Universal? Enfim, tudo da Mara e tudo do Dudu?
E ainda dizem que não há o que fazer aqui em Brasília. Peno menos eu acredito que comer bem, a gente come. E muuuuuuuuuuuuuuito bem.
Beijos!!!

Clarissa disse...

Recurso: na parte unanimidade entre os amigos me senti excluida, eu nunca pisei em Rossoni e nem tenho vontade.
Adicionaria o chopp artesanal do godofredo, também.
Bom post, Rafaelzim :)
Beijos

Dom Rafa disse...

@Gabrielle Avelar: Resposta proporcional ao post; em tamanho. =) Você TEM que ir ao Beirute um dia (e ao Rossoni). Pois se o Rossoni é um "melhor boteco", o Beirute é a Lenda da capital. É nosso Café Montparnasse; nossa Colombo... Vá nem que seja pra fazer uma observação antropológica. Bar Brasília (e Armazem do Ferreira) eu adoro. Gosto mais ou menos do Boteco e não gostei muito do Mercado como "bar" (só pra comprar coisas mesmo). Beijos!!

@Clarissa: Você nem pisou mas já gostou. =) Pelo menos para efeitos bloguísticos. Recurso parcialmente deferido. Temos que ir lá, nesse caso, pra vc ser devidamente doutrinada... Besos!

Sara disse...

Gente fiquei com vontade de dar um passeio gastronômico por Brasília, assim que for ao Brasil farei o impossível para comer nestes cantinhos todos, alguns dos quais já li sobre...delícia de post, rsrsrs.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...