quinta-feira, junho 17, 2010

A Flor Errada

Quando tinha uns 4 anos, a menina resolveu plantar alguma coisa. Porém, não tinha a mínima noção de como se plantava. Ela queria uma flor, talvez uma rosa, que atraísse abelhas, e tivesse um bom perfume, e fosse linda, e lhe desse bom dia todas as manhãs, com gotas brilhantes de orvalho em suas pétalas. Ah... Vá lá... Talvez até um pinheiro mais monótono a deixasse satisfeita.

Na casa de sua avó, ela pegou um saco pequeno e resistente, encheu com uma terra preta de fundo de quintal fez pequenos furos em volta do saco com um palito e regou, com todo o cuidado e carinho do mundo. Levou para sua casa aquele monte de terra molhada e estéril. Dormiu ansiosa, esperando no dia seguinte ser acordada com uma bela plrantinha.

O sol nasceu, ela abriu os olhos e - horror! do saco ingrato de terra preta havia brotado a mais pavorosa das coisas que havia visto. Uma coisa negra, viscosa que parecia olhar para ela, querendo devorá-la: um cogumelo. Tomada pelo medo daquele monstro inerte, saiu chorando para o quarto de seus pais, que colocaram o saco com o cogumelo em um canto da casa e explicaram ela o que era.

No dia seguinte ela viu o saco num canto da cozinha. O treco asqueroso havia se mexido, provavelmente em busca de sol. Resolveu deixar aquela anti-rosa ali, para que secasse até morrer. Porém, com o tempo teve piedade do cogumelo. Quando estava quase seco, a menina o abrigou novamente em seu quarto e lhe ministrou um pouco de água. Apesar de feio, foi o que nasceu de seu trabalho. Era algo com que ela se preocupava. Mas cogumelo não é algo que vive por muito tempo em um saco, em um quarto de menina. Enquanto ele viveu, foi muito bem cuidado.

E, enquanto era bem cuidado, a menina aprendia por sua responsabilidade, a ver uma estranha beleza que jamais encontraria em nenhuma rosa.

5 comentários:

Clarissa disse...

Poxa, que profundo! (sério) Pensei várias implicações pra sua historinha

Sara disse...

Nossa que lindo, você devia postar mais coisas assim, foi uma leitura daquelas que valem a pena!! Parabéns!!!
Abraços

Gabrielle Avelar disse...

Você sabe, Rafa, mesmo porque eu já lhe disse isto várias vezes, que amo todos os seus textos. Você tem um humor que eu acho magnífico. Mas, este texto, concordo com minhas amigas, é lindo!
Dá o que pensar. E, sabe, na minha nova fase, eu penso que, mesmo um "cogumelo", me faria a pessoa mais feliz do mundo. Porque o mundo não é feito de rosas apenas. A vida mostra suas belezas, mesmo quando elas são "invisíveis aos olhos", porque, como disse a Raposa: "só se vê bem com o coração", não é assim?
Beijo enorme!!!

Raíssa Biolcati disse...

"Foi o tempo que dedicaste a tua rosa que fez tua rosa tão importante".

Beijos! :)

Dom Rafa disse...

@Clarissa Sim, sim... Papo pra repartição. Conseguiu ver alguma relação com Avatar?

@Sara Às vezes eu tento. Tudo pode ser encontrado nesse blog...

@Gabi/Raíssa Ah... Após reler o post e ler seus comentários... Será que foi overdose de Pequeno Príncipe? Eu li em 2007... heheheheh

Beijos/Abraços!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...