segunda-feira, agosto 23, 2010

Sentando à mesa com elegância: como evitar a toalha

Toalha de mesa. Minha eterna inimiga. Ela teima em ser considerada obrigatória em certas mesas, apenas para me contrariar. Ou então eu sou muito desastrado. 

Lá em casa elas são várias, de vários tamanhos, formas, cores. Servem para enfeitar e proteger a mesa. Porém, eu sou um ogro que prefere a praticidade ao rococó e, vocês hão de concordar comigo, aquele pano grande só atrapalha. Ele toma toda a sua liberdade de sentar à mesa, de sentar-se como bem lhe convier já que parte dele costuma ficar pendente na cadeira. Em nome da proteção mesária a toalha fica lá reinando absoluta e rindo da nossa cara, obrigando-nos a desenvolver mil técnicas para sentar à mesa sem fazer bagunça. Sim, porque se você sentar normalmente na cadeira conforme as regras da crasse e da elegança; a saber de lado, girando as pernas para acomodá-las sob a mesa, você corre o risco de ter parte da toalha presa sob a bunda e, no momento do giro, parte da mesa no seu colo. 

No Natal, o tormento é maior pois a minha mãe cisma em colocar uma longa toalha de mesa verde sobre mesas de madeira, onde sentarão os convidados. Essa toalha vai até o chão, dispensando a atuação da bunda para fazer a bagunça: um salto alto no lugar errado já pode fazer estragos. Lembro-me de um Natal em que, com alguns whiskies antes da ceia, minha coordenação motora estava meio alterada. Fiz um prato maravilhoso e farto. Coloquei-o em cima da mesa. E encarei a longa toalha. Vi que aquilo não iria acabar bem. Puxei a toalha pra cima para poder entrar na mesa apertada... Mas a quantidade de toalha parecia não acabar. Com a mão cheia de pano, vi que havia um bruraco em que eu podia me encaixar. Porém, não sei de onde, apareceu um restozinho de toalha, sobre o qual eu sentei. E girei. E, se meu prarto por pouco não vem acomodar-se em meu colo, o peru e seu recheio boiavam agora no vinho derramado, sobra de algum tio que havia largado a bebida perto de mim. Ao menos, a mesa estava protegida.

Desenvolvi então, um método rústico de adentrar a mesa, seguindo a filosofia do "se não vai por bem, vai por mal". O revolucionário método consiste em levar a cadeira para uma distância segura da toalha de mesa. Uma vez bem acomodado, é só cavalgar a cadeira até o lugar desejado, em uma investida  medieval mas eficaz. O método não é recomendado para pessoas acima do peso por poder quebrar a cadeira e/ou deixar sequelas irreversíveis no chão da sala. Mas prometo que o prato de comida fica intacto! 

como sentar a mesa
Epic win!!!

3 comentários:

deo, a terrível. disse...

Ah, sim o velho truque revolucionário de levar a cadeira para uma distância segura da toalha de mesa, e uma vez bem acomodado, cavalgar a cadeira até o lugar desejado, em uma investida medieval mas eficaz.
Conheço. ;)

Haha!
Boa Rafa.

Dom Rafa disse...

...E se vc fizer isso gritando "T'CHAAAAAARGE!!!" é ainda mais emocionante!

Raíssa disse...

Adoreei essa. hahahaha!
Eu faço a mesma coisa também, mas ler esse teu post me fez rir. Nunca tinha pensando no lado cômico dessa investida medieval, mas eficaz. hahaha
beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...