quinta-feira, setembro 30, 2010

Delícia de Atum

Costumo almoçar, por pura economia de recursos, em um restaurante localizado no subsolo de um órgão público, carinhosamente apelidado por mim de Morte Lenta, em homenagem à minha música favorita dos Raimundos. Mas, sejamos francos, a comida não é lá das piores. Porém, ela é extremamente irregular. Às vezes, está boa. Às vezes, dá medo. O kibe é sempre uma delícia. O bolinho de mandioca seria se eles não colocassem coentro (sinônimo de "veneno" pra mim; "plantinha com gosto de percevejo", segundo meu irmão). A coisa piora quando os Chefs do submundo inventam de inventar.

Ontem, por exemplo, desci às masmorras com uma certa fome, rezando para a comida estar boa. Pulei aquelas saladas que mesclavam repolho, rabanete e outras plantas de gosto forte e cheguei a algo não identificado. Uma massaroca levemente esverdeada, com umas ervas no meio e uma aparência de purê de batata. Provavelmente o prato menos convidativo do buffet. O que seria aquele melancólico morro de comida pastosa? Olhei acima e li: "Delícia de Atum". Abaixo, um subtítulo explicava a gororoba iguaria: (Batata, maionese, atum e ervas). Aquilo não parecia Atum. Muito menos uma Delícia. A fila atrás de mim provavelmente iria reclamar se eu parasse para fotografar o prato, então me abstive de fazer isso. Geralmente, quando o Morte Lenta batiza algum prato de "Delícia" eu já leio "Propaganda Enganosa". Primeiro porque você batizar seu próprio prato de "Delícia" é muita presunção. Segundo, porque todos sabem que comida boa mesmo é a comida humilde da vovó feita no fogão à lenha.

Aos que interessarem, coloquei um pouco da "Delícia de Atum" no prato para dar uma chance ao Morte. E, com o perdão da expressão quase-pleonástica, foi batata! O prato tinha um sabor aguado, de nada misturado com coisa alguma. Batata e atum fervidos, bem lavados e colados com alguma maionese sem muito sabor. Nem com sal a delícia melhorou. 

Mas, cá pra nós... Atum, purê de batata e maionese amassados não dá uma delicia . Dá um grude. Não precisa ser nenhum grande Chef para saber disso.

quinta-feira, setembro 23, 2010

Tratado sobre o MACHO IV

O MACHO ALFA
(homo naturalii machus)

"AUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU"
(Macho Alfa, sobre si mesmo)

"Se te olhar e você ficar com vontade de obedecer, é Macho Alfa. E você é um mero beta, vulgo páu-mandado..." 
(J. A. Popov sobre Machos Alfa em 1952)
O Macho Alfa foi o último a ser catalogado por Jürgen Adenovich Popov. O cientista russo resolveu aplicar a categoria aos seres humanos num dia em que tomava uma Stolichnaya com seu camarada Stalin que teria socado a mesa e feito a pergunta: "E eu, kommrad? Qual Macho sou?". A resposta podia valer uma passagem de ida para a ensolarada Sibéria.

No mundo animal, o Macho Alfa é o líder da alcatéia. É o macho (ou, por vezes a fêmea - já que existe a Fêmea Alfa) que toma as decisões, caça, pega a melhor parte da comida... É um bon vivant do reino animal pois reconhecidamente chegou ao topo, feito uma cereja sobre um sorvete. Todos querem estar em seu lugar mas poucos conseguirão. O Macho Alfa é o ícone do sucesso; o verdadeiro Rei dos animais; o popstar do mundo selvagem. Versátil, costuma ser papai de muitos filhos e tem sempre uma multidão de fêmeas em sua volta querendo ter a honra de serem escolhidas para mamãe. No entando, biologicamente falando, como observa Popov, sua missão vai muito além de "espalhar sementes pelo mundo, reproduzindo-se com diversas fêmeas": também envolve liderar, proteger, suprir o grupo.
lobo macho alfa
Manda quem pode, obedece quem tem juízo!
 
Tão imponentes e bem sucedidos que até seres humanos se espelham em seus feitos e desejam, por sua vez, serem um Macho Alfa. E muitos de fato chegam perto e outorgam para si o tão cobiçado título. Porém, se o macho comum é muito instintivo, o Alfa é o instinto em sua mais pura e selvagem variante e é daí que ele tira seu carisma e afirma seu poder. É algo totalmente ligado à uma condição não civilizada. E, exatamente por isso, "um ser humano jamais poderá ser um Macho ou Fêmea Alfa (J. A. Popov, 1954 - desmentindo a classificação de Stalin)". Popov era um fanfarrão e conseguiu fazer com que Stalin morresse com a convicção de que ele era um dos raríssimos Alfas pelo mundo. Com isso, ele enganou o Guia Genial dos Povos e salvou sua pele. 

macho alfa
Humanos e Machos Alfa: uma mistura que não dá certo (foto de um espécime criado pelos irmãos Popov em seu laboratório. Não sobreviveu)

Pouco antes da morte de Stalin, Popov voltou às Américas e dessa vez, seu destino o levou a um canavial na ilha de Barbados. Ali, ele conheceu uma bela mulata com quem viveu até o fim dos seus dias.

Machos Alfa famosos:
- Rin Tin Tin
- Fofão
- King Kong
- Stalin (honorífico)
- Zé Mayer em noites de  Lua Cheia (exceção COMPROVADA à regra)
- Vlad Dracul (não comprovado)
 
jacob black twilight
Jacob Black: todos aspiram à condição de Alfa. Alguns estudiosos, cientistas e sacanas, porém, discutem se ele poderia ser meramente categorizado como Macho...

terça-feira, setembro 21, 2010

Tratado sobre o MACHO III

O MACHO MAN (OMBRE MATCHO em mi español es fueda)
(machus latinus vulgaris)

"Se o seu marido estiver lhe traindo, você deve tratá-lo melhor em casa. Procure ser mais carinhosa e fazer as comidas que ele gosta." 
(Conselho de uma revista feminina, 1950) 
"Quem manda nessa merda aqui, sou EU!!!" 
(Capitão Nascimento explicitando carinhosamente sua autoridade sobre a merda)

Foi viajando por terras americanas, do Alabama à Patagônia que Jürgen Adenovich Popov e seu amigo britânico Edmund Hastings catalogaram essa variante, segundo eles menos aparente no Velho Mundo. Eles estavam em um Saloon, no deserto de Nevada tomando um Bourbon e falando mal bem de Stalin quando dois homens entraram. Pediram algo. De repente, num acesso de fúria, saltaram da mesa e jogaram o café quente na cara da garçonete e o porkchops with groovy-gravy sauce no chão, para que ela tivesse o trabalho de limpar. Saíram sem pagar a conta. Motivo: o café estava sem açúcar. Obviamente, foram parar no catálogo.

O Macho Man é sem dúvida a mais odiosa de todas as variantes. Sua nomenclatura nada tem a ver com a música famosa que veio mais tarde, mas sim com a constante necessidade de "auto afirmção deles mesmos sobre si prório" (J.A. Popov, 1951). Afinal, se é MACHO, obviamente é MAN. Geralmente, eles têm o pênis pequeno mas triplicam o tamanho quando falam deste. E é um assunto que eles gostam de abordar, principalmente entre seus semelhantes. Gostam também de, nesses termos, elencarem o número de mulheres que "abateram" ou com quantas já "copularam" ou "cobriram". O número SEMPRE é arredondado pra cima.

andy kaufmann e tonny clifton
 O que o Macho Man convencional vê sempre que se olha no espelho.
"Quem é o gostosão do pedaço? Quem? Quem??" 

Macho Men costumam usar roupas cafonas e chamativas, que estavam na moda há 15 anos, ostentar alguma mancha de graxa ou gordura e apresentarem-se acompanhados de alguma garrafa de cerveja geralmente pousada sobre a tradicional pança, ao lado do controle remoto. Consumem muito álcool, na maioria das vezes cerveja. Comem de tudo desde que esteja "boiando em óleos e gorduras para mandarem para o carburador, como eles dizem." (E. Hastings, 1949)

Eles parecem viver em um mundo ideal, onde a cafajestagem rola solta e eles sempre são heróis másculos e conquistadores de mulheres. Até as samambaias, em seu estranho conceito de realidade, se pudessem "dariam pra eles". Apoiam-se em dogmas absurdos como "mulher gosta de apanhar" (e, com eles, apanham!) e são extremamente machistas. Muito criticados pela sociedade, a categoria parece estar fadada à dacadência e ao fracasso biológico. Volta e meia, morrem por falha no carburador ou engasgados com uma casca de pizza. É, minha gente, eles adoram usar jargões de carro para fazer alusões ao seu corpo.

Macho Men famosos:
- Chris Brown
- Dado Dollabella
- Netinho
- Bertrand Cantat
- ...e nada me tira da cabeça que o Magnum era um Macho Man enrustido

mulher gosta de homem babaca
...E todo Macho Man gosta de você.

segunda-feira, setembro 20, 2010

Suzy

De uns tempos pra cá, apareceram no mercado umas bonecas realistas. Ontem fui a um churrasco onde umas meninas estavam brincando com algumas delas. Eu peguei uma no colo e imediatamente me senti papai. Explico-me: não somente elas têm a cara de um bebê mesmo como também têm o peso, a consistência e, segundo um amigo meu oriundo de uma tribo antropófaga da Nova Guiné, o gosto. É uma verdadeira simulação de criaça. O raio da boneca se acomoda no seu colinho, tem cabelo humano, e preço estratosférico.

A meninas adoram. Acho que pela mesma razão que, com 10 anos de idade eu adorava aquelas miniaturas de carro, para colecionadores, cuja riqueza dos detalhes era inversamente proporcional à durabilidade do produto. Quanto às bonecas, eu fico muito apreensivo. Elas me dão medo. Primeiro, essa história de ter cabelo humano. Sabe-se lá de quem era o cabelo (ou de onde, como disse um amigo meu que divide a mesma opinião)? Cabelo e boneco são coisas ligadas ao vodú. E aquele ser inanimado, horrivelmente realista lá em minha casa, com a aparência de um bebê empalhado... Nada me tira da cabeça que, quanto a Lua está cheia e o relógio soa as doze badaladas, a boneca se levanta da penteadeira e perambula sem rumo pela casa.


Por questões de segurança, se um dia eu tiver uma filha, ela só ganhará boneca Suzy. Boneca com cara de boneca. Nada daquelas realistas que simulam bebês ou aquela de pano, inchada, que parece ter elefantíase. Papai tem medo. Boneca feia, à noite, pega papai!

sexta-feira, setembro 17, 2010

Será que eu fui o único

...Que viu essa foto e pensou imediatamente em uma legenda?


benetton e o papa 

UNITED 
COLOURS
OF
BENETTON

Isso que dá ter vivido nos anos 80.

segunda-feira, setembro 13, 2010

Tratado sobre o MACHO II

O CABRA MACHO
(homo machus virgulinus)

"Se tem pênis, gosta de mulher e come carne seca com farofa; é cabra macho!"
(J. A. Popov)

Por volta de 1935, o estudioso Jürgen Popov esteve na América do Sul para, inicialmente, observar os povos da Amazônia, comer carne de paca e brincar com uma cutia. Gostou muito de sua visita ao Brasil e ficou muito feliz ao receber um macaco prego de lembrança antes de voltar à gélida RossiyaMatushka. O macaco infelizmente não resistiu às rigorosas temperaturas de Moscou. Porém o que mais lhe chamou a atenção na viagem foi o comportamento dos Cabras Machos, que ele conheceu no Sertão Nordestino. Diz a lenda que ele teria até tomado pinga com Lampião e presenteado este com uma autêntica Stolichnaya.Lampião, devoto da pinga, teria dado a Stolichnaya para um bode, cujo bucho ele devoraria em seguida.

O Cabra Macho é uma variedade tipicamente nordestina (embora haja ocorrências em outros lugares do País). Sua principal característica é a aversão à água, a menos que esta seja ardente. Sua cadeia alimentar é composta de carne seca, carne de sol, (quanto mais sal E sol melhor, pra rachar a boca), tapioca, fubá, farofa, buchada de bode e outros alimentos os mais secos possíveis. Geralmente tudo isso é comido junto, uma vez ao dia, do nascer ao pôr do sol. Quando o sol se esvai, Cabras Machos se reúnem em torno de uma fogueira para suar e tomarem pinga-braba. Orgulham-se de sua aparência empoeirada e costumam trajar pesadas vestes de couro, que esquentam sob o sol fazendo com que seus corpos percam líquido rapidamente. Assim, muitos têm um aspecto da própria carne seca que consomem. Levam consigo um facão chamado "Peixeira", mas trata-se de um nome claramente irônico já que vivem em um habitat sem água e, consequentemente, sem peixes. Essa faca é usada para cortar o couro, fatiar as carnes , desmatar a caatinga e amputar a orelha de desafetos. 

O comportamento dos Cabras Machos costuma ser imprevisível e a mistura Peixeira - Pinga - Mulher costuma não render bons frutos por aqui. Lampião e Maria Bonita (Cabra Macho honorário) foram provavelmente os mais famosos expoentes dessa categoria. 

No Sul, há uma categoria semelhante, os homo machus gauderius. Não são avessos à água nem precisam de pinga braba para viver. A carne consumida costuma ser mais suculenta e eles costumam matear com seus semelhantes. Jürgen, o pesquisador russo escreveu extenso trabalho sobre eles, mas Stalin, por engano usou os papéis para fazer uma fogueira em uma visita a um campo de concentração siberiano. Pediu desculpas para Jürgen, que prontamente ofereceu mais tratados científicos para aquecer o Camarada. Tudo pelo Soviet!

Cabras Machos e derivados  famosos:
- Virgulino, o Lampião
- Maria Bonita, a Lampioa
- Corisco
- Pade Ciço
- Sen. Pedro Simon quando bravo (palpite meu)

Lampiao decapitado
Cabras Machos: só podem ser derrotados por decapitação, por armas mágicas +1. Após a foto, a cabeça de Lampião pediu uma porção de carne seca com pinga.

sexta-feira, setembro 10, 2010

Copa do Brasil

Eu era contra.

Mas aí, após todo o esforço da sociedade, da "torcida" brasileira, eu amoleci e agora sou apenas semi-contra. Bom... O Brasil foi escolhido como sede da copa de 2014, então não adianta nem mais ser semi-contra - me dirão alguns, mas fico receoso sobre o modo de como as coisas estão sendo feitas. Tomarei para exemplo "do contra" Brasília, cidade que conheço bem. E falarei também das localidades que me parecem óbvias para uma Copa do Mundo.

Vamos começar pelas cidades-sede. Delas, conheço o Rio de Janeiro e Brasília. Posso afirmar que o Rio de Janeiro tem um transporte público bastante eficiente e em constante evolução. Quem se desloca entre o Centro, a Zona Norte e a Zona Sul está bem servido. Copa do mundo pressupõe: infra-estrutura turística (transporte, hotéis,...) e Estádios. Não duvido que as cidades escolhidas, todas elas, se ainda não têm esses "ingredientes", estarão preparadas para tanto em 2014. O problema surge no pós-Copa. Os novos Estádios, por exemplo, terão manutenção cara. Por isso, acho que a Copa deveria ser realizada apenas nos Estados onde o Futebol é mais forte, a saber: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Ali estão os maiores times, as maiores torcidas e algumas das maiores aglomerações urbanas. Brasília, por exemplo, terá um enorme estádio que será inútil após a Copa, já que os dois maiores times da cidade estão em plena decadência. Um verdadeiro monumento ao nada. Ainda em Brasília, embora haja muitos hotéis, estes estão cheirando a mofo e caindo aos pedaços. Vão reformar e construir para a Copa. E depois? Brasília é um pouco como Dubai. Uma cidade bizarra, diferente. Só que sem a pompa Disneylandesca da cidade do Oriente Médio. O movimento turistico aqui é bem fraco, nas férias a cidade fica deserta. Após 2014, o que fazer com toda a infra estrutura turística? As pessoas virão até aqui visitar o Estádio Fantasma? Será?

Uma solução dramática seria demolir os grandes estádios e reconstruir os pequenos, de manutenção mais barata. Mais despesas. E, se bem conheço a administração pública, gastar dinheiro com destruição não é uma medida muito bem aceita. O Brasil, em pleno crescimento econômico, arrisca com essa Copa uma grande estagnação pós 2014. Se todos os bilhões fossem investidos em infra estrutura estaríamos mais bem servidos que tendo esse dinheiro depositados em um evento.

Espero estar bastante errado, mas minha impressão é a de que trocamos progresso por uns meses nos vendo na Globo.

---------------------------------------

Aproveitando o assunto meio futebolístico do POST, queria fazer um pedido ao Presidente Lula, em nome de TODA a Torcida do FLUMINENSE.
Na Copa, vossa Excelência proferiu a seguinte frase profética: "Eu prefiro que a DILMA ganhe as eleições a ver o Brasil campeão nessa Copa." A última parte, vossa Excelência conseguiu.

Eu e o Polvo Paul, achamos que para que tenhas CERTEZA de uma vitória de DILMA, a assertiva merecia ser completada:
"...E digo mais: prefiro ainda que o CURÍNTIA sequer classifique para a Libertadores, mas que DILMA vença no PRIMEIRO TURNO, para não ter dúvidas!!!" 

Saudações Tricolores! 

quarta-feira, setembro 08, 2010

Tratado sobre o MACHO I

Introdução (ao trabalho) e
O MACHO
(homo machus machus)

Ano passado, meu irmão viu um vídeo no Youtube e compartilhou a experiência cultural comigo. Eu, compartilhei com um grupo de amigos. Mais tarde, nós fizemos uma viagem e um trecho desse vídeo marcou nossas andanças pelo mundo. Mais tarde ainda, uma amiga minha veio falar comigo sobre uma discução acerca do "macho alfa". Juntando os dois fatos e mais umas ponderações no assunto, resolvi fazer um "POST MÚLTIPLO"; o Tratado sobre o MACHO. Trata-se (pois é um tratado) de matéria científica da melhor filosofia de boteco, em que, do geral para o particular, serão elencados os diferentes MACHOS.

Nota 1: Sobre o vídeo no Youtube, o assunto será retomado ao final da presente obra.
Nota 2: Peço perdão aos que se ofenderem com o título. Macho não gosta de nada sobre ele. Nem gramaticalmente.
Nota 3: Scientific American, Natural Geographic e Globo Rural, nada de publicar meu artigo sem a minha anuência; eu sei que a tentação será grande.

----------------------------------------

Para começarmos esse estudo, temos de nos familiarizar com o Macho propriamente dito. Em seu sentido genérico, explicando friamente e sem firulas, Macho é todo aquele que se enquadra na premissa: "Se tem um pênis e gosta de mulher; é Macho". Segundo o botanista/sexólogo/tarado russo Jürgen Adenovich Popov, há duas subcategorias de Macho, que para fins classificatórios NÃO devem ser considerados como tal: primeiro, os Machos que têm pênis, mas não gostam de mulher. Segundo, mulheres quase-Macho, com um clitóris de 25cm. Adenovich ressalta que essas categorias estão, felizmente, sendo cada vez mais aceitas na sociedade, inclusive pelos ditos Machos que, antes, normalmente as menosprezavam. Há, assim, uma tendência ao equilíbrio. 

O típico Macho é homem (sempre - Mulher-Macho é só na música). Alimenta-se de carne e vegetais (onivorismo) e procura se adequar à pirâmide de Maslow, buscando: 

1- Nececidades básicas: Comida, Sono, Pinga, Futebol, Sexo
2- Necessidades de segurança: Abrigo, Estabilidade, Sexo 
3- Nececidades de Relacionamento: Amigos, Família, Sexo (mas nem sempre com amigos e família)
4- Necessidades de Auto Estima: Alguém lhe dizer que tem um pênis grande, Sexo sem Viagra
5- Necessidades de Realização Pessoal: Sexo Tântrico

Como afirma o playboy Ruben Adenovich Popov (irmão de Jürgen), "o Macho é um ser ainda instintivo, selvagem e, portanto, sexual". Isso, logicamente, em sentido genérico. Existem desvios na categoria onde cada variável incidirá em maior ou menor grau. Machos mais urbanos costumam serem menos instintivos, por exemplo.Há uma vasta gama de comportamentos passíveis de serem observados, nos quais não entraremos em detalhes, excetuando-se os casos mais drásticos, que serão tópicos dos próximos capítulos.

O Macho, para ser bem visto na sociedade deve trabalhar. Em tempos remotos, ele era o caçador; o provedor de alimentos. Hoje, é visto por muitos como o provedor de capital. Trabalha nos mais diversos ramos e pode se destacar na sociedade caso seja bom naquilo que faça.

Machos geralmente andam em bandos (com outros Machos ou não), gostam de futebol, carros e, obviamente, mulheres. Em idade jovem e idade avançada costumam colecionar revistas assanhadas.

Machos famosos:
- Chuck Norris
- Sansão
- Zé Mayer
- Borba Gato
- Hugh Heffner
-Professor Girafales

Black Adder King Richard
Exame da próstata:
todo Macho, um dia, passará por isso.

quinta-feira, setembro 02, 2010

Estranhos detalhes...

Devia ser umas 23h. Estava no hall de entrada do prédio de uma ex-namorada, sentado em uma bancada de mármore perto de um jardim. Estava de frente para uma parede de madeira e a ex-namorada em apreço estava conversando comigo, de pé, virada pra mim. Foi quando parei de prestar atenção no que ela dizia e comecei a analisar a parede e os desenhos na madeira. De repente, eu senti um medo indescritível e ela notou. Parou o que estava dizendo e me perguntou o que havia acontecido. Sem que eu dissesse nada, ela virou pra trás e, quase imediatamente, deu um suspiro de espanto e escondeu a cara no meu ombro, trêmula e aparentemente tão apavorada quanto eu, pedindo para que fôssemos embora dali. E isso me deixou ainda mais assustado pois ela havia visto a mesma coisa que eu.

Na parede de madeira, em marcas mais escuras, dava para ver um rosto levemente caprino, com orelhas, chifres, olhos barba... Igual às representações medievais do que que os europeus chamavam de "baphomet", (alusão ao profeta Mahomet) e que nós chamamos de cramunhão. Não sou lá muito religioso nem nada mas havia algo sinistro naquela parede.

Apartir desse dia, só usávamos a entrada de serviço do prédio, para evitar a parede maldita. Dizem que o diabo está nos detalhes, então, pra quê arriscar?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...