quinta-feira, novembro 18, 2010

Cuidado, Xuxa.

Não se fala em outra coisa. Qualquer revista ou jornal que eu tenha pegado pra ler nas últimas semanas, o assunto estava lá. Geralmente tratado de forma irônica; por vezes até ridícula. É, minha gente. Monteiro Lobato era racista. Onde já se viu comparar Tia Nastácia a uma "macaca de carvão?" 

Confesso que eu tenho um certo medo do politicamente correto, a quem chamarei de PC, justamente pro texto não ficar muito politicamente correto. Ouço muito falar em valorizar o lado africano e indígena da nossa cultura e acho que isso só pode trazer benefícios. Mas não censurando Monteiro Lobato. Cresci lendo alguns livros dele, bem como livros de mitos e lendas indígenas. Cresci fã da Mitologia Brasileira, com suas raízes católico-européias, indígenas e africanas. E, quando criança, ao mesmo tempo que lia a macaca de carvão, eu ouvia, em uma novela (Dona Beija? Já não lembro qual era...) um senhor de engenho falando com ódio, babando por entre os dentes, dirigindo-se ao seu escravo: "Sssseu NNNÊEEEGRO!!" Nossa! Acho que eu preferiria ser um macaco encarvoado. Criança, já podia diferenciar a piada, ainda que de extremo mau-gosto de equiparar o negro ao macaco e a ofensa racista (aí sim) do senhor de engenho. No livro infantil, o que temos é uma piada. É humor antigo, certamente anacrônico e impróprio para os dias de hoje mas provavelmente aceitável e comum nos anos 30. 

Em vez disso, deveriam promover a cultura Afro-Brasileira de outras formas. Muito pior é o lugar comum extremamente difundido por aí que candomblé e umbanda é coisa do cramunhão! Isso sim é preocupante. Isso sim gera violência, preconceito, depredação de monumentos. Certa vez, assisti a uma palestra do Emb. Alberto da Costa e Silva, grande estudioso da cultura africana, que é muito interessante e pouco valorizada. Poucos sabem da grande metrópole que foi Timbuktu, maior e mais bem organizada que qualquer cidade européia quando da chegada dos primeiros exploradores daquele continente. Também pouco se sabe dos impérios do Mali, do Songhai, do Zimbábue... Grandes civilizações floresceram lá. E muito dessa cultura grandiosa e pouco conhecida veio parar aqui. E agora, o PC vem e mistura humor e história com racismo.
Só espero ainda poder contar e ouvir piadas de português. Sou portuga-descendente (pra ficar bem PC) e, francamente, não dou a mínima pra essas piadas. Nem meus pais, mais portuga-descendentes que eu. O PC, interpretado ao extremo, levará ao Ned Fladerismo do nosso humor, voltando ao meu medo, após muita firula. Logo, não seria exagero pensar que, após um eventual banimento de piadas lusofóbicas, obesos e anti-loiras a alcunha de Xuxa "A Rainha dos Baixinhos" seja vista como alusão à pedofilia. Cuidado, Xuxa!

4 comentários:

Anônimo disse...

posta a história do garr e guuk!
elazul fion- lá do fórums tibiabr :)

deo, a terrível. disse...

Esse tal de PC faz a gente ver de tudo, né... Desinformação, excesso de informação, ignorância, e até xenofobia mesmo. Eu fiz o meu estágio na faculdade sobre a história da África. Achei muita coisa incrível na minha pesquisa e a reação da gurizadinha nas aulas era mais incrível ainda.
Agora, é complicado dizer como é a forma correta de reagir sobre determinados assuntos... Ta, ficou um comentário extenso e confuso, mas é isso aí. Huahuahua!

Beijo.

Dom Rafa disse...

@elazul fion: Nossa! Que surpresa vc por aqui! Seja bem vindo. =) Então... Há tempos, eu tinha um blog no estilo "Garr e Guuk" aqui. Foram 7 capítulos em 2 anos e meras 53 visitas. Nenhum comentário. Desisti. Meu irmão disse que "férums se prestam mais a esse tipo de história". Concordei com ele. Mas, terminando Garr e Guuk, a história ganhará um blog em sua homenagem, sendo re-postada! Há tempos pretendo fazer isso. Abç!!!

@Deo: Acho que foi um POST extenso e confuso; quase descartei... Enfim... Acho a história e a cultura africanas apaixonantes; especialmente no tocante à religiosidade! Besos!!

Raíssa disse...

Não gosto do Monteiro Lobato, talvez eu seja meio PC. Nada pessoal com ele, mas é que a gente simplesmente não combina. Entendo, é claro, que o que ele escrevia em suas histórias infantis era "adequado" àquela época, mas que hoje isso destoa totalmente. Não vejo humor em comparar a Tia Anastácia a um Macaco. Não vejo e muito dificilmente alguém vai conseguir me mostra isso. Falo isso, porque tem gente que em pleno século XXI vê. E também acho que é muito diferente esse tipo de humor do humor direcionado a portugueses, loiras e afins. Historicamente falando, o português não foi escravizado, humilhado e passou séculos e séculos se limitando a uma classe social pela cor da pele. É como comparar o preconceito com o negro ao preconceito com um branco. É muito diferente. "Branco safado" não tem o mesmo peso que "preto safado". Por que? Porque branco é um "elogio". O branco é historicamente bem sucedido, tem sangue azul, é a classe nobre. Ele não é o pobre coitado que trabalha para os outros, apanha no tronco e é comercializado como uma vaca. Sou fascinada pela cultura africana, pelo sincretismo, pela raça, pela força, pela luta. Sou fascinada por religião, por cultura, por mistura. E hoje, eu sou PC, talvez por conseguir compreender perfeitamente a necessidade de se encaixar numa sociedade que simplesmente te aceita porque tá na lei. Na verdade, não te aceita, simplesmente te engole. E eu vou parar por aqui, porque senão eu não paro de escrever nunca. Esse assunto simplesmente não se esgota. hahaha
Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...