sexta-feira, novembro 26, 2010

O Dia de Merda

Com "M"aiúsculo. E das grandes. Não.... Porque tem dias que NADA dá certo, né? O São Murfão, esse encosto agourento, padroeiro jocoso do "dar errado", cisma em pairar sobre nós qual um urubu sobre a carniça. E, merda, ele resolveu brincar comigo ontem.

Pode parecer fuga ao tema, mas devo começar falando de futebol. A derrota inesperada do Palmeiras era um mau presságio. Palmeiras derrotado, o movimento tricolor #EntregaPalmeiras perde totalmente o sentido. Como todo bom tricolor, adoraria ver o jogo Conca-Fred-Emerson vs. Reservas. E a permanência do time paulista na Sul-Americana era a desculpa esfarrapada suficiente para o "entreguismo". A desculpa em apreço foi pra cucuia (alguém sabe onde fica a cucuia? Murphy deve viver lá.) e agora o Palmeiras não tem porquê não partir com tudo pra cima do Fluminense, como uma cobra caninana faminta. Entregar o jogo seria uma atitude ferrarística e anti esportiva. Seria o Massa deixando o Alonso passar, versão futebol.

Dia seguinte, fui fazer exame de sangue. A agulha não quebrou em mim, nem doeu e eu ganhei pão de queijo. Foi até bom. Depois, fui marcar um médico doido aí. Normal. Eis que me ligam do trabalho, alertando para Pepinos, alimento preferido de São Murfão. Novamente, merda! estava atrasado e, agora, cheio de imprevistos pra resolver. Fui pra casa, botei terno, gravata e recebi uma ligação do Banco do Brasil do Rio com - adivinhem? Pepinos! interestaduais, dessa vez. Pilotei até o trabalho. Como sei que não há vagas naquele momento, fui até minha "passagem secreta", que estava obstruída por uma corrente. Tive que dar a ré no carro, em um estacionamento entulhado e... BÓOOOFFFFF! atrás de mim tinha um Fiat estacionado em local proibido. Rastro preto no meu carro (nada grave; cera tira) e um retrovisor dobrado no Fiat batido (nada grave; motorista resolve).Mas não deixa de ser uma batida; algo que acaba com o humor de qualquer alma...

Almoço. A comida estava boa. Fiz um prato interessante; vegetais, arroz com carne, feijão e, raridade aqui, "Bife a Parmegiana". Coisas que eu gosto; que me fariam comer com prazer. Mas Murphy sentou do meu lado. Não haveria de deixar meu momento gastronômico intocado. Ah, não haveria mesmo! Tudo estava delicioso, fato raro num restaurante focado na quantidade. Mas... O bife... Estava meio nervoso. Nada grave, mas nervoso. Diligentemente, fiz um esforco extra para romper um nervo e cortar um pedaço cheio de queijo e molho de tomate. Foi quando o acidente aconteceu. Méeerda de bife! Pôoorra de nervo! Vontade de virar vegetariano (passou 2 minutos depos)!! Xinguei o cozinheiro, o restaurante, o boi e 15 gerações de antepassados ruminantes nervosos. Ao cortar de forma bisonha o nervo, que cedeu antes do previsto, o pedaço de bife escorregou pelo molho de tomate, atravessando o prato na minha direção. Um tsunami de feijão, arroz e molho Arisco explodiu no meu colo. Minha camisa branca estava agora com uma aparência Tie-Dye alaranjada. Pior! Agora, no meu bolso (sim, a camisa imaculadamente branca tinha um bolso), junto ao celular banhado nos molhos, aglutinavam-se grãos de arroz e feijão em uma orgia oleosa. Com a majestade de um imperador, levantei tentando parecer indiferente e fui pagar a conta. Depois, fui até o meu carro, em uma caminhada que parecia nunca ter fim. Voltei pra casa e, limpo, pro trabalho.

À tarde, após o expediente, saí para consertar dois relógios. Peguei a loja fechada. Depois, saí para comprar remédios. Estavam em falta nas duas farmácias mais próximas. Tarde perdida e o sol já se pondo. Dormi mais cedo, com medo do que mais poderia acontecer. São Murfão cansou da minha pessoa. E, com uma boa noite de sono, o Dia de Merda chegou ao fim...

2 comentários:

deo, a terrível. disse...

Rafa do céu, perdão, mas tive que rir lendo o seu post. Sacumé, né... nos olhos dos outros... rsrs
Bom, quanto ao Palmeiras, depois desse fim de semana acho que ta tudo certo, né... Flu já é campeão (a menos que São Mur... não, deixa assim).
E pão de queijo depois do exame de sangue? Oras, quando eu vou doar (me tiram bem mais que uma seringa!) eu ganho uma banana e um sanduíche de mortadela!
Humpf!

Besitos!

Raíssa disse...

Um saco isso, né? Sei bem como é, tem dia que tudo sai errado. Assim, simplesmente. Mas tudo passa, graças a Deus! hahaha
Espero que teus dias já estejam melhores!
E trate de continuar comentando, senão eu fico triste. êêê
hahahaha
Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...