quinta-feira, julho 28, 2011

Férias 1

Após AAAAAAAAAAAAAAAAAAAANOS de trabalho árduo (mentira) finalmente tirei férias. Quem mora em Brasília sabe; ficar demais naquela cidade, mesmo que você goste, causa danos irreversíveis à saúde. Assim sendo, resolvi passar uma semana no Rio e outra no Paraguai, esticando para Ciudad del Este (sou consumista sim-e daí?) e Foz do Iguaçu.

A saída de Brasília foi conturbada. Pra minha pessoa, um vôo às 9h20 da manhã, num "dia de barba" é uma coisa meio tensa. Sim, eu fiquei me embonecando/verificando mala tempo demais e, chegando ao aeroporto às 8h55, perdi o vôo. Isso porque acordei às 6h30 da manhã. Acordarei às 5h da próxima vez, em nome da tranquilidade. Mudei de aeroporto (de chegada) e aterrissei no Rio 2h após o previsto.

Rio de Janeiro é a Cidade Maravilhosa. Não vou dizer que adoraria morar lá; mas é a melhor cidade do mundo e isso não se discute. Tem Copacabana, boemia, névoa sobre o mar, vistas de tirar o fôlego, bairros emblemáticos, igrejas, palácios, Garota de Ipanema, Maracanã, antigo e moderno. Se você chegar pelo aeroporto do Galeão, a cidade lhe dará as boas vindas com um inesquecível cheiro de carniça. Vai por mim; até a carniça lá é melhor que alhures. Se você for pelo Santos Dummond, terá uma belíssima vista da cidade ao pousar praticamente no meio do mar.

Como sempre, meu propósito número um por ali era visitar a família. Porém, dessa vez, consegui dar uma de turista e, finalmente, conheci o belíssimo bairro da Lapa, com sua infinidade de bares, botecos e inferninhos da melhor qualidade (cortesia das minhas primas). Outro ponto turístico inesquecível foi o bonde do Pão de Açúcar, que dá uma vista linda da Zona Sul. No dia, a cidade estava coberta com uma névoa, que atrapalhou um pouco a visão e acinzentou minhas fotos. Na saída, no exato momento em que eu descia, uma névoa espessa, de cegar morcego, tomou conta do topo da pedra do Pão de Açúcar. Que subisse lá não veria mais nada. EPIC WIN (pra mim, é lógico).

Mais tarde, na ida para o Galeão (em cima da hora, como sempre), tomamos uma chuva. Cheguei a um aeroporto vazio, graças ao bom Deus padroeiro dos Atrasados. Rumo ao Paraguai.

pao de acucar encoberto
Mamãe já me disse que é feio rir da desgraça alheia, tirar foto e pôr no Blog, mas eu não resisti. Passagem para o Pão de Açúcar: R$ 53,00 por pessoa...

segunda-feira, julho 11, 2011

Fazendo gracinha no Japão - Parte 3

Um histórico pokerface foi o resultado desse evento. Sério... No meu primeiro café da manhã na casa onde eu fiquei, havia um pote parecido com um Nescafé. Porém com pequenas lascas de ouro dentro. Japoneses parecem gostar de comer ouro. Já havia tomado um saquê com ouro aqui em Brasília e, agora, na minha frente, estava o tal café com flocos dourados. Como estava fechado, eu não abri. Na casa, eles tomavam café de cafeteira, mas, como eu acordava mais cedo e saía logo para aproveitar a viagem, meu café era de microondas mesmo. No primeiro dia, vi um café na loja de conveniência em frente à casa. "Pô... Legal! Vendem café dourado aqui. Vou até levar um pro Brasil".

Já no dia seguinte, sem nenhuma cerimônia, perguntei se podia tomar o café dourado. Iriam responder que "não"? Não! Com a anuência dos anfitriões, abri o pote e rasguei o lacre. Compraria outro quando estivesse terminando.

O abençoado aqui consumiu 2/3 do pote e, quando estava pra voltar, foi até a loja de conveniência para substituir o café. Qual não foi minha surpresa quando constatei que o café da loja era um Nescafé genérico, sem nada precioso dentro. Na verdade, de parecido, eles tinham apenas o rótulo. Eu nem prestei atenção no conteúdo, mas pela embalagem, achei que era a mesma coisa. Devia estar escrito "Atenção: café SEM ouro"; mas eu não sei ler japonês. Isso não me preocupou muito, era só eu ir até a loja que vende e comprar outro, oras!

Voltando para a casa, perguntei qual era a origem do café valioso; pois eu queria comprar. A resposta foi algo assim:

- Eu não comprei isso não. Foi uma vez que eu viajei pra uma microcidade nos confins do Japão, que nem está nos mapas e que nem o Imperador nem o Jaspion sabem que existe. Lá, visitei um templo e, como eu fui o primeiro não-japonês a pisar ali, o monge do templo me deu isso de presente.

0_0

Então... Esse tempo todo eu estava tomando CAFÉ DOURADO DE MONGE RECLUSO FEITO COM ESMERO HÁ GERAÇÕES... Como cafezinho-da-manhã??

Minha resposta óbvia: 

-Ah... ... ... (até que estava bom)

poker face meme
 Não tinha outra cara...

sexta-feira, julho 08, 2011

Eu sou um porco

Vou confessar uma coisa aqui: eu não uso fio dental. Nem a roupa íntima e nem o fio dental dental mesmo. Em tempo: na Europa, já vi, infelizmente, a cena dos infernos de um homem com sua família (não era gay, eu imagino) numa praia. Sua esposa tirou a parte de cima do biquini para fazer um tradicional topless (comum por lá; até velha faz) e, enquanto eu, adolescente de 12 anos observava de longe os seios femininos, eis que o maridão se mete na frente e baixa a sunga, exibindo um fio dental preto, tapando o pipi, mas ideal para bronzear a bundinha. Cara... Isso era vanguarda demais para os meus olhos... Mas Borat ficaria orgulhoso!

Voltando ao meu fio dental dental, eu não uso simplesmente porque não consigo usar. Boca de abertura pequena, dentes extremamente colados uns nos outros... Eu nem peço hamburguer grande justamente por isso: não consigo comer! Se o hamburger não vai, imagine mãos cheias de dedos manipulando um fiapo Colgate.

usando o fio dental
Faz dodói...

Minha mãe implica com isso. Principalmente quando no dia seguinte eu tenho dentista (e hoje eu tenho). Logo, sessão de fio dental à noite. Primeiro, eu acho que eu nem sei enrolar o dito fio no dedo. Ele fica roxo e a sensação é de que ele vai ser cortado em dois e cair. Segundo, eu não devo saber como manipular dedo e fio lá dentro, porque faço uma força hercúlea pro bicho entrar entre certos dentes, principalmente os de trás. O resultado é evidente. O fio parte em três. Um fica do dedo esquero, outro no direito e um terceiro fio bobo fica ali, alojado entre os dentes.

gangrena nos dedos
 Dizem que seu dedo pode apodrecer com isso! Não tente fazer em casa.

Pânico. Terei de usar um outro fio dental pra tirar o fio dental. Nada. O fio dental está bloqueando a entrada do outro fio. Tento uma pinça, sem sucesso (me imaginem com uma pinça na boca; é muito tosco para desenhar). Estou falando sério. Após várias tentativas frustradas, uma boca arregaçada com hematomas nas extremidades- me deixando com aparência de vítima de herpes- eu enfim tirei o fio d'entre os dentes. Deve ter tomado bem uns 10 minutos da minha vida.

Murphy dental adoraria ver isso.

Dentistas, sejam compreensivos. Eu NÃO fui feito pra fio dental.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...