quarta-feira, agosto 31, 2011

Férias 3

Foz do Iguaçu. Atravessamos a ponte e chegamos à uma cidade simpática na fronteira com o Paraguai. Minha mãe ficou encantada com o local. Tudo organizado, limpo, com aparência de "novo". Após alguns minutos vagando por lá, achamos nosso hotel. Já era noite, então foi só um jantar, no qual eu comi o provável melhor peixe da minha vida. Só não me lembro o nome; era algo em uma língua de índio da Amazônia.

Mas como todo turista que se preze, não fomos pra lá para comer peixe em hotel, mas sim pra ver cachoeira, passarinho, Itaipu e comprar coisas na volta. Primeiro foram as cachoeiras. Pra quem não conhece, a paisagem é espetacular. O longo caminho pelo mato, por vezes bem cansativo para um ser fora de forma como eu, proporciona uma bela vista das cataratas e, em alguns pontos, nos força a um banho obrigatório pelo volume de água. Pra quem realmente quiser sair limpinho, há um tal de "Macuco Safari". Você pega um carrinho e desce pela floresta com um guia. Há uma trilha e a grande atração: o passeio de bote. O bote em questão atravessa o rio e praticamente entra nas cataratas. Eu bebi meio Rio Iguaçu. Me molhei tanto, com uma água tão fria, que resolvi comprar uma bermuda, com medo da minha bunda pegar uma pneumonia. 

Ao lado das cataratas, está o Santuário dos Pássaros. Tipo um zoológico. Mas só tem passarinho. O diferencial aqui é que você entra no viveiro junto com eles. Pode arriscar brincar com o tucano que ele deixa. Eu fui ensaiar um approach mais íntimo mas ele olhou torto e eu recolhi minha mão. Pra quem gosta de bicho, vale a pena. Uma bela oportunidade de ter uma arara dando uma rasante na sua cabeça e um mutum fazendo suas necessidades no seu ombro. 

Dia seguinte, passamos em Itaipu, um pouco rápido pro meu gosto. Assim... Não vou me alongar demais aqui porque o interessante de lá é ver o "conjunto". E isso, é melhor ver ao vivo. As turbinas enormes, o canteiro de obras, todos os centros de pesquisa e desenvolvimento de tecnologias... Está tudo ali. Dei sorte de pegar as comportas abertas regulando o fluxo de água. O guia disse que isso só ocorre em 10-20% dos dias do ano; na época das chuvas. Justamente a época em que NÃO estávamos.

De Itaipu para Ciudad del Este. Já disse aqui que sou consumista. Resolvemos parar por lá para comprar besteiras e esperar um tempo: havia rumores de que o "Movimento Campesino" (tipo um MST paraguaio) iria fazer uma manifestação na estrada. O trânsito em Ciudad del Este é infernal. Carro, moto, gente, bicicleta, barracas de venda... Tudo está amontoado num mesmo local, a saber, as ruas. Parece cena de mercado indiano, menos os elefantes e as vacas. Mas eu estava numa boa, porque era meu pai quem estava dirigindo. Ele não gostou muito da experiência. Muito trânsito, muita gente, muito barulho, muita loja e uma volta pra casa cheia de sacola. 

Piorou quando ele fez uma comparação de preços e constatou que TUDO em Assunção, cidade bem mais tranquila, tinha o mesmo preço. Às vezes era até mais barato...

double rainbow
 DOUBLE RAINBOW!!! DOUBLE RAINBOW ALL THE WAY!!!

4 comentários:

Clarissa disse...

As cataratas de Iguaçu são uma beleza mesmo! Ciudad del Este é o O...mas vale como experiencia sociológica

Dom Rafa disse...

Exatamente. Você deve ir a Ciudad del Este antes de ir para a feira em Bombay. É tipo uma aclimatação!
Mas... Eu até achei legal. Só não voltaria. =P

Deo a Terrível disse...

Huahuahua!
Passeio bom é aquele em que a gente passa perrengue também. Se der tudo certinho não tem muta graça. Eu ia gostar de dar de cara com o Movimento Campesino. =P

Baita foto essa aí! :D

Besos!

Dom Rafa disse...

Ih, Deo... Mas o Movimento Campesino lá não é muito flor que se cheire não. Ainda mais se você for Brasileiro imperialista...

Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...