sexta-feira, outubro 28, 2011

Moohatsu

Já que o Dia das Bruxas se aproxima...

fantasma japones 

Desde que eu me entendo por gente, os fantasmas e demônios da mitologia japonesa me parecem perturbadores. São um pouco como os seres humanos, mas com alguma parte deformada. Há o fantasma da mulher sem rosto, a serpente com rosto feminino e a velha defunta saindo da lanterna queimada (na gravura; lenda de Oiwa) entre outros. 

o chamado
 
Você provavelmente já deve ter visto filmes de terror asiáticos. Na minha opinião, são os melhores. O treco que dá medo, geralmente dá muito medo. E geralmente, é peludo. Ostentam uma cabeleira de fazer inveja ao Marcelo Taz. Os fantasmas japoneses costumam ser cabeludos e, tanto nos filmes quanto nas lendas, parece haver uma ênfase nesse fato. Aí, hoje, eu me deparei com a notícia de uma chinesa cabeluda. Lembrei dos filmes de terror. 

mulher cabeluda

A reportagem diz que os cabelos começaram a ser cultivados quando o filho nasceu. Tou aqui imaginando essa mamãe indo dar o tradicional beijo de boa noite no filho, num quarto escuro, com o rosto coberto de fios negros. E, quando tiver algum pesadelo e for buscar refúgio no quarto dos pais,  encontrará, ali, o pesadelo cabeludo... 

Cara... Dá medo!

(Em tempo... "Moohatsu" é "cabelo" em japonês)

quinta-feira, outubro 20, 2011

Me segue que eu te sigo

Virou moda na Internet. Está em vigência a lei da reciprocidade. E aqui vai, de certa forma, meu manifesto. Não, eu não tenho ódio mortal dos adeptos da prática. Mas... Que enche o santíssimo saco; isso enche!

Explico: nos blogs, já me avisaram: "você tem que comentar e seguir meio mundo para ganhar seguidores". Acho justo; desde que não haja insistência para "seguir". Blog não é lá algo muito fácil de divulgar e, acredito, pouca gente se interessa a não ser que a pessoa também tenha um blog ou que o seu tratre de tema específico ou fale da sua vida. Ah! Mesmo que você seja um total desconhecido, vão querer saber se você brigou com namorado, se a gostosa do trabalho te deu mole e outras coisas teoricamente "privadas". O meu não tem muito disso; não fala da minha vida e certamente não tem tema específico (mas tem uns desenhos legais de vez em quando).

Agora... O comenta no meu - comento no teu way of life acaba de ganhar seu lugar no Olimpo com o Twitter. Pros 2% que lêem isso aqui e não sabem o que é twitter, usando "@ + nome" você "fala" com alguem. Usando "# + qualquer coisa" você entra numa discussão sobre o assunto, falando, assim, com uma penca de gente.

No início, havia o "#FF", chamado de Follow Friday. Sexta feira, você indicava alguém através do "Follow Friday". Exemplo: "O Twittingrafa é massa! Vou indicar pra todo mundo! #FF @Twittingrafa". Hoje... A coisa está realmente ASSUSTADORA!!! Eu entro na minha conta e tem um flood de mensagens com gente implorando pra ser seguida, repassando mensagens de desconhecidos que também querem ser seguidos e afirmando que "me segue e eu sigo de volta e ainda indico pros outros, pago 10000 reais e ainda faço sexo!!" Gente que quer apenas ter um número alto aparecendo no status, a troco de nada. Você vai seguir 5000 pessoas? Não vai. Dessas, você deve conhecer umas 50 e nem vai ver o que elas dizem. Do the fucking math. Das 1000 que te seguem, você também conhecerá umas 50 e os outros 950 não estão nem aí pra quem você é ou pro que você diz.

Eu não sigo por volume. Sigo APENAS se tiver motivos para tanto. Se você me seguir, ótimo, será bem vindo e estará livre do nome na macumba. Mas não se sinta ofendido se eu não seguir de volta. E a recíproca é verdadeira... Se alguém vier com indicações e apelos uma vez ou outra, eu não ligo. Acho até legal; já fiz isso umas vezes. Agora, infelizmente, já deixei de seguir muitos perfis que eu achava interessantes por causa dos floods mendigando seguidor e dos ReTweets desenfreados poluíndo minha página...

Favor dar RT se concordaram.

seguindo no twitter
#SEGUESEGUESEGUESEGUESEGUESEGUESEGUESEGUESEGUE

* Não quis entrar no mérito dos "bots" pra não prolongar o post.

quinta-feira, outubro 06, 2011

Farfarouille Légumineuse Parabolique; 100,00 Euros

Aconteceu com o amigo do amigo do primo de sétimo grau do cunhado do meu tio, que me contou a história, verídica.

Tudo começou quando Gaudério (nome quase fictício - era parecido) resolveu ir à Paris com um grupo de amigos. Certa noite, foram a um restaurante contemporâneo na Rue Jean de Mortadèlle, cujos preços eram razoavelmente altos. Mas o local fora indicado pelo gerente do hotel, de modo que certamente iria satisfazer a todos.

Chegando ao local, tudo muito elegante e seriço impecável, o cardápio consistia em montes de palavras em francês e montes de números com um EURO atrás. O preço dos pratos não variava muito, de modo que a carteira tomaria uma facada em qualquer pedido. Mas havia um, a Farfarouille Légumineuse Parabolique... Um prato mais misterioso... Muito mais caro que os demais. Era coisa pra magnata; para o bico de poucos. Gaudério, curioso, ficou interessado. Chamou o garçom Joseph (agora sim, nome fictício):

- Joseph... Por que esse prato tem um preço tão diferente dos demais?
- Ah, monsieur Gaudère, esse prato é feito com um legume exótico importado da Índia. E vem acompanhado de uma carne de qualidade, feita à moda da casa. Por isso é tão caro.

Gaudério olhou o cardápio... E olhou... E olhou... E pensou:
 "Sabe de uma coisa? Estou aqui na França, turistão... Quero mais é aproveitar! Que se dane o preço!"
- Mon ami Joseph! Uma Farfarouille Légumineuse Parabolique por favor!!!
Anotado. Na mesa, todos estavam ansiosos para ver o que seria o pedido de Gaudério. O delicioso legume indiano. Com a suculenta carne francesa, perfeita harmonização moderna de duas cozinhas tão díspares... Aquilo sim era vanguarda!

Até que, com uma postura orgulhosa, Joseph aproxima-se da mesa. Leva na mão uma bela bandeja de prata com o tão esperado prato em seu interior. Cada vez mais próximo. Joseph dá uma pigarreada de uma elegância sem par e, na frente de todos, abre a bandeja, revelando seu preciosíssimo conteúdo.
- Voilà votre Farfarouille Légumineuse Parabolique, monsieur Gaudère.
Chuchu com carne moída.

garcom frances
Enquanto isso, na França
100 putos Euros por um chuchu com carne moída...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...