quarta-feira, novembro 30, 2011

ETERNAMENTE ABANDONADO (Forever Alone?)

Esse texto não é meu. É uma crônica que meu pai escreveu e eu achei muito boa. Como é um pouco grande para caber em um post só (um pouco como o meu TRATADO SOBRE O MACHO, escrito ano passado), irei dividir em algumas partes. Não é por que meu pai escreveu não, mas eu recomendo. 

forever alone

PARTE 1: A MENINA

Um amigo contou-me a história de G.C., quem se queixava de haver sido sempre abandonado pelas pessoas com as quais conviveu mais de perto ao longo de sua triste existência. 

O primeiro caso de abandono ocorreu com Laura, menina de olhar e sorriso sedutores, na plena graça de seus doze anos, entre a infância e a adolescência, como era então comum nos anos sessenta (quando a própria cidade do Rio de Janeiro também parecia eternamente linda e adolescente, mas este último comentário já é nostalgia minha, não faz parte da história). 

G.C. ficou apaixonado por Laura, sonhava com seus olhos azuis, seus cabelos louros e ondulados e seu sorriso cativante. Queria estar todo o tempo com ela, na escola, no cinema, na praça e em qualquer outro lugar. Certa vez, foi surpreendido pela mãe da menina no quarto dela em mau momento : ele sentia que estava bem molhado e temeu que seu  estado de embriaguez amorosa fosse percebido e levasse ao fim do namoro.  Tal não ocorreu, porém, para sua felicidade, ainda que tristemente momentânea.

Tempos depois, ele acompanhava Laura no ônibus a caminho do cinema, quando o pior aconteceu. Em certo momento, a menina pareceu ter visto alguém na rua e saltou apressada, abandonando G.C. no banco sem mesmo se despedir. Viu-a abraçar e beijar um menino que nunca tinha visto antes. Tão aturdido ficou que se deixou permanecer o resto da viagem no lugar onde estava, com os pensamentos girando, sem nada mais ver, até o ponto final, quando o motorista do ônibus certamente percebeu seu estado de abandono, compadeceu-se dele e estendeu-lhe a mão da amizade.

Continua...

segunda-feira, novembro 28, 2011

MEMEs

Alguns amam, outros odeiam. Faço parte dos primeiros. Aos que não fazem nem idéia do que é um "MEME" eu definiria, hoje,  como "uma parte humorística da cultura virtual". Ok, a definição de facto não é essa, mas, pra mim, esse é o lado que sobressai. A palavra MEME é derivada de uma palavra grega que significa "algo que por algum meio é passado adiante entre as pessoas de uma uma cultura." Daí o HUMOR na INTERNET.

Na Internet, as MEMEs são imagens que repetem várias vezes um determinado conceito, acompanhadas ou não de um texto. De onde saem essas bobagens? Bom... Ninguém sabe ao certo mas um site chamado 4Chan certamente é um de seus grandes ninhos. Trata-se de um forum onde você pode, de forma anônima, colocar todo tipo de foto, texto etc. O site faz mal pro CÉLEBRO e eu parei de frequentar quando encontrei em suas entranhas peçonhentas a coisa mais repugnante, tosca e asquerosa que eu já vi até hoje.


Abro aspas: quem me conhece, sabe que, ao encontrar alguma coisa bizarra pelo mundo, eu passo adiante. Sou um compartilhador daquilo que não deve. Essa do 4Chan... Eu não divulgo, em nome do bem da humanidade. Pra vocês verem o nível de periculosidade envolvido. Fecho aspas.

A criação de um MEME está razoavelmente bem ilustrada neste diagrama.

criando um meme
Memes... Asian bitches love memes!

Exemplos de MEMEs famosos:

TROLLFACE: significa que alguém fez algo que não devia. Quando uma pessoa passa a perna na outra, por exemplo. Usado também para conceitos, quando uma premissa científica é contestada por outra, aparentemente plausível.

FOREVER ALONE: é a pessoa que vive isolada do mundo. Quando aparece chorando, a coisa é grave. Várias charges dizem respeito a esse tema e esse MEME é um dos mais populares.

PEDOBEAR: surgiu em um site japonês, originalmente sem nenhuma conotação sexual. Como MEME, é um ursinho fofo e pedófilo. "Hermione... Eu sabia que ela era gostosa antes de todo mundo!"

FOUL BACHELOR FROG: não me perguntem o porquê de ser um sapo. Mas é um MEME que descreve situações vividas por homens solteiros, geralmente relacionadas a pornografia, cozinha instantânea e preguiça de estudar.

É um humor tipicamente nerd e fortemente atrelado ao ócio virtual. Acabei ficando famoso por tornar público o meu apreço por essas besteiras e por rir de coisas que só eu entendo. 

Citando uma amiga: "Piada de Rafaelzinho: ninguém entende! Tem que ir no Google e na Wikipédia pra entender. E quando você entende, não acha graça." Pois eu, infelizmente, acho. =/
Ah, sim! Além do Google e da Wikipédia, o site 9Gag pode ajudar na parte prática da interpretação...

quinta-feira, novembro 17, 2011

Soluções simples

Eu sou pão duro econômico. Meu pai me ensinou algumas lições para a vida, do tipo "Não abra um novo pacote de Maizena antes de terminar o que já está aberto", "Não deixe restos de comida no prato, pois cada vez que você desperdiça comida, um nigeriano morre de fome e é devorado por abutres" e "Comece a espremer o tubo da pasta de dentes a partir do início do tubo e aperte até sair a última gota quando estiver acabando (na minha época, não era "creme dental", a coisa era de metal e Sorriso se chamava Kolynos)."  Aprendi tão bem, que hoje sigo à risca todos esses conselhos. E fico indignado quando a faxineira joga fora meu tubo de creme dental quando ele está nos finalmentes mas, com fé nos dedos, ainda dá pra uma semana. Passei a esconder para evitar o desperdício. 

Mas não é que alguém inventou um modo de piorar minha pãodurice economia dental? Foi em uma reunião de negócios de uma grande marca de cremes dentais cheios de flúor e recomendados pelos melhores dentistas (os mesmos que recomendam o concorrente). Os executivos da marca Beta debatiam sobre como atrair mais consumidores e aumentar as vendas, os lucros... Eis que, para animar os ânimos e turbinar o brainstorm, entra na sala Caramélia, a humilde servente de café. Ela ouve rapidamente a discussão e resolve dar pitaco.

- Por que vocês não aumentam o buraco pelo qual sai o creme?

Silêncio. Era lógico! O produto acabaria mais rápido e as pessoas comprariam mais!! Como não haviam pensado nisso antes? Assim foi feito. Deu certo. As vendas subiram e, hoje, Caramélia serve o café E a água.

Maldito café...

creme dental kolynos
(Notem que a marca Beta mencionada NÃO é a Sorriso ou a Kolynos. Só fizeram parte da história porque eu era fã da Kolynos)

Macho fuçado usa KOLYNOS!!!

quarta-feira, novembro 02, 2011

LIKE A BOSS

Merdas. Não há como negar, nem pra onde fugir. Elas acontecem. Com qualquer mortal, desde o descamisado da esquina à Rainha da Inglaterra. A coisa piora quando você está com sono.

------------------------------------

Aconteceu há uns dias, em que eu fiquei de bobeira na Internet até mais de meia-noite, fui dormir 1 da manhã e, no mesmo dia, eu teria que acordar cedo. Mais do que de costume ainda por cima, já que era dia de fazer a barba e a minha, no momento, está frondosa e precisa de cuidados especiais. Acordei com meu amigo despertador e desliguei com o botão snooze, aquela invenção demoníaca pra você mimir 10 minutos a mais. "Dois snoozes; vai... Depois eu me arrumo rápido." Ledo engano: Snooze #1, Snooze #2, pensei "hora de levantar", pensei "ah! Que se dane; já já eu pulo da cama". Sono profundo outra vez. Comecei a sonhar com o meu chefe e com trabalho dando errado. Acordei meia hora após o último snooze e entrei em "modo CORRERIA". Fiz tudo o que tinha que fazer. Café da manhã, banho, barba, dentes, roupa... E fui saindo. Nisso meu irmão tinha acordado e, na frente da porta, eu estava comentando com ele sobre aquelas vezes que você sai com o pressentimento de ter esquecido alguma coisa... O sono e a pressa contribuem maravilhosamente para isso. 

Modéstia à parte, eu estava elegante. Terno, gravata bem encaixada, camisa passada, perfume, cinto. Tudo combinando. Mas faltava algo. Verifiquei a cueca; ela estava ali. Minha pasta marrom horrorosa estava comigo e, dentro dela, o guarda chuvas e a papelada toda necessária para o trabalho. Chaves, celular e carteira nos bolsos e óculos escuros, para dirigir, na cabeça. 

Fui feliz pro trabalho. Entrei na sala, desejei bom dia a todos, sentei e fui me ajeitar na cadeira. Aí eu vi o que estava faltando. Minha elegância era do tornozelo pra cima. Com o terno, eu estava usando um esquisitíssimo tênis que, não raro, chamou a atenção por onde passou. Não dava pra dizer que era vanguarda. Tava cafona mesmo. Única solução no horizonte era assumir o erro. Leia-se: inventar uma desculpa convincente.

"Qualquer coisa, era minha unha. Minha unha estava quebrada e me impedia de usar sapatos." 

Chique de novo.

Proud-walking LIKE A BOSS!

tenis com terno
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...