quarta-feira, fevereiro 22, 2012

Mateando errado.

Cheguei à conclusão. Da mesma forma que "se você não for carioca, não tente ser marrento", se você não for gaúcho, paraguaio, pantaneiro... Não se aventure com a Ilex Paraguariensis. Minhas experiências todas foram frustrantes. 

Quando eu era criança - idade entre 4 e 32 anos - eu vi meu tio tomando um suco estranho, com um canudo de metal, dentro de um treco de madeira. Era verde oliva e tinha o aspecto de  um pântano. Fiquei logo curioso. Primeiro, minha tia me disse que estava quente. Pelando de quente! Minha boca iria grudar no ráio do canudo de tão quente. Meu tio deveria ter boca de couro duro; eu já havia jogado um cachimbo dele longe porque estava quente e eu tinha sido avisado, mas não acreditei. Segundo, minha mãe descreveu aquilo como sendo algo "horrível e amargo".

NOTA: sim, com 4-5 anos eu gostava de provar coisa de adulto. Cachimbo, licor, cerveja, vinho, whisky... mas era "só uma provinha, hein?" Eram os anos 80. Podia tudo.

Anos mais tarde, na casa de um amigo, resolvi provar o amargo, horrível e quente. E não é que eu gostei? Encomendei imediatamente uma cuia do Uruguai e, quando ela chegou, fui todo contente preparar a iguaria. Tomei o tal chimarrão a noite toda. Dia seguinte, repetiria a dose., não estivesse a cuia toda verde e branca, invadida pelo mofo (virou enfeite). A cuia número 2, comprada com um gaúcho, teve o mesmo destino. mofado (foi pro lixo). Desisti. Além do mais, aquilo era quente. Solução...

Vamos virar vaqueiro e tomar tererê!! Chifre não mofa! Tomei e... Mofou. A madeira no fundo amanheceu esverdeada. Consegui trocar e, até hoje, a guampa, está conservada. Como faço? Tomo, lavo, coloco no freezer. O chifre, porém, é o mais difícicil de acomodar a erva, na minha opinião.

Finalmente, estive no Paraguai, onde eles tomam "tereré" nuns copinhos de palo santo, uma madeira local, verde e com um cheiro permanente de sauna seca. Pronto! Era o recipiente perfeito. Nada melhor do que tomar um mate estupidamente gelado em um pequeno copo de madeira verde cheirando a sauna seca. Trouxe um de lá, junto com um pacote de "Pajarito, Yerba Mate". 

...E o São Murphão dos Mates Fracassados atuou novamente sobre a minha bebida. Após tomar o tererê nos copos de palo santo paraguaio, estes rachavam após a lavagem. Aconteceu duas vezes. Pra ter certeza, comprei um que tinha as bordas mais grossas possíveis. Um paraguaio, cansado das minhas aventuras, mandou eu colocar manteiga dentro da parada antes de tomar. Aparentemente está funcionando.

cuias de terere e chimarrao 
Muito confuso. Melhor tomar um feijão amigo no boteco da esquina.

Pra finalizar, o "setup" da erva também me causa problema. As instruções ao lado so pacote são lindas e fazem meus olhos brilhar verde. Ah, que fácil de fazer. No sul, a gravidade deve ser curva. Porque aqui em Brasília ela é meio reta e puxa pra baixo, de sorte que se eu deixar a cuia em diagonal (a erva fica bonita) a água cai pra fora. Se eu levanto um pouco, a erva cai e começa a voltar pra posição inicial. o que acontece ao colocar água. Um tsinami de erva e água dentro do recipiente. Por vezes, a bomba entope. 

como nao fazer seu chimarrao
 Raphael, você deve estar fazendo errado.

Na sala ao lado, uma paranaense toma calmamente seu chimarrão. A erva está minuciosamente arrumada na cuia, uma verdadeira obra de arte. Verdinha, sequinha, formando uma montanha ali no topo...

Estou para pular em seu pescoço.

10 comentários:

Deo a Terrível disse...

Bueno, sabe que pra quem não é gaúcho, falar de chimarrão é perigoso. Mas aqui vai uma oestino-catarinense 'tomadora' de chimarrão se meter na coisa:

Assim, não deixe a água ferver, coloque uns 3/4 de erva na cuia (aqui no sul as cuias são de porongo. Madeira, blérgh!); Vire a cuia e apare a erva com um cevador, ou uma tampa, qualquer coisa pra fazer aquele barranquinho. O gaúcho roots apara com a mão mesmo; Depois coloca a água mais pra morna que pra quente, senão queima a erva e fica amargo mesmo; Vai colocando devagar, pode ser com um copo mesmo, e vai cuidando pra não cair o barranco; Deixa a cuia lá, de pezito, parada até a água baixar um pouco e depois completa com água quente de novo; Só aí vc coloca a bomba, mas tapa a boca dela com o dedão pra não ficar com ar na cuia; Depois que tu ajeita a bomba tu tira o dedo; Aí meu querido, começa a chupar a água, se tiver muito fria tu pode cuspir a água da primeira cuia fora. Pronto, o mate ta cevado, é só beber. Hehe!

Só que pro gaúcho o chimarrão é um ritual, não é uma simples bebida... Sabia que tem até os 10 mandamentos do chimarrão? Pozé.

E ah, que negócio é esse de guardar a cuia no congelador? Huahua! Deixa ela secar ao ar livre, pegar um vento. Mas se tu não faz todo dia a cuia mofa mesmo. E aquele verde pode ser da erva mesmo, não te assuste, vivente!

Pronto, que venham os gaúchos me descer o laço agora. E desculpe pelo comentário-post. Huahuahua!

Dom Rafa disse...

(Ah... Eu estava ansioso pelo seu comentário-Post). Bom... Vamos por partes aqui.

1- Melhor uma West-Catherinian que um carioca radicado em Brasilia...
2- Isso! Minhas mofadas eram de porongo. É a casca de uma fruta, não é? Num é madeira aquilo não? 0.o (Palo Santo paraguaio: recomendo)
3- Eu sou carioca roots e aparo com a mão. Meu problema é que a erva cai, no momento em que eu levanto um pouquinho pra água entrar. Barranco: sempre despenca. Que nem no Rio.
4- Quase sempre esqueço de tapar a bomba com o mata-piolho.
5- Já li os 10 mandamentos. "Nunca diga que é anti-higiênico, beba até roncar, etc"
6- Cuia não. Coloco a guampa; o chifrão pra congelar.
7- Pois é... Ar- livre mofa da noite pro dia... E quando eu lavo, ela n fica verde. Só no dia seguinte. Verde com aparência peludinha... Eu não arrisco.
8- Se alguém te descer o laço, serei queimado vivo...

Beijos Deo! =D

Deo a Terrível disse...

Hahaha!
Os dois mais entendidos do mundo falando de chimarrão, né...
Acho que só te falta treino mesmo, cara. Nada que um ano inteiro mateando todo dia, várias vezes por dia não resolva. Hehe!

Besos!
"D

Dom Rafa disse...

Yee-ha!!!

Tou com um pote TODO de "Barão de Cotegipe" em casa. Mais um pacote de "Pajarito" que a minha mãe trouxe.

Curiosidades:
- Tererê Made in Brazil: funciona como digestivo; melhora meu metabolismo.
- Tererê Made in Paraguay: funciona como concentrado de cafeína. Me dá suadeira, pressão alta, o corpo todo treme e eu não durmo. Vejo o John Lennon me dando tchauzinho na janela em frente.

...As maravilhas do MATE...

Bjusss!

Galerada CDA disse...

olha meu amigo no caso da erva do Paraguay como vc esta falando e por que elas são bastante concentrada no hortelã é ele que fás com que abaixa sua pressão , no meu caso prefiro as paraguaias apesar delas serem mais medicinais, as que vendem aqui no brasil elas so servem pra gente ir no banheiro de mais . Mas cadaum tem o seu gosto.

Pro pessoal que não sabe matear a guampa do tereré é por que não tomo por que quem toma aprende a matear rápido .

JUNIOR COSTA
jodeyr_jr@hotmail.com

Dom Rafa disse...

Em que pese o sabor, prefiro as paraguaias. Pela funcionalidade e ação-reação, sou mais a brasileira mesmo. E, de fato, eu não tomo o treco rápido. Eu fico degustando. Daí a cuia de madeira racha. Óbvio. Como não pensei nisso antes?? 0_o Valeu pela dica. Quando quiser ficar na degustação, usarei outra coisa.

Ricardo Kowalski disse...

Cara, estou passando pelas mesmas dificuldades que você. Comprei uma cuia nova, tomei chimarrão a noite toda e no dia seguinte ela estava verde...segui o conselho de um tiozinho no youtube que dizia pra guardar a cuia com o mate seco dentro depois de raspá-la com uma colher e adivinha...ficou mais verde ainda. Uns falam pra guardar a cuia pra baixo, outros falam que não pode, outros falam pra deixar no sol, outros falam pra secar ela com a boca pro fogão, etc. Só sei que quando tomo o mate, fica com um gosto horrível (deve ter azedado).
Me arrisquei então no tereré, comprei uma guampa e estou tentando tirar o cheio de coisa podre dela há 3 dias, sempre seguindo todas as dicas que encontro no internet, mas pelo visto aquele mal cheiro não sai tão cedo...¬¬
Acho que vou ficar no cafezinho mesmo.

Anônimo disse...

E aí merrrmão...tudo certo...

Seguinte, vi seu comentario sobre o tereré (é...tereré, é assim que chamamos aqui no interiorrrrrr de SP), sou de Rib. Preto e tomo tereré já a algum tempo.

Quanto a erva, o que posso indicar a você e assim como os tererezeiros por aí a melhor delas é a Kurupy...não há o que se discutir com relação a ela...

Quanto a guampa, compre uma de inox com couro, fica mais gelado e você não correrá o risco do esverdeamento rs de seu instrumento de diversão.

Como aqui é muito quente, praticamente uma amostra grátis do inferno não tomo chimarrão por isso não lhe dou conselhos sobre ele.

Quando experimentar a Kurupy me fale...mas tenho certeza que vai gostar.

Hasta luego!

Aeshma Deva disse...

Eu dei muitas risadas com todo este negócio de embolora tenta de novo, embolora novamente, a gravidade não deixa-te tomar, o negócio é que tu não tem mesmo experiência para tomar do jeito tradicional, têm várias cuias de vidro e aço inox, se não encontrar tome em um copo grande mesmo, sei que o chimas é maravilhoso eu não fico sem, mas uma dica é você passar uns dias com um bom mateador ou com qualquer mateador e fica observando ele cevar o mate a com a cuia 90º e colocar a agua fria com a cuia 30º esperar descer o nivel puxar a agua depois cuspi-la até roncar a bomba e colocar a agua morna com a cuia 30º geralmente tem muitos pequenos detalhes e adaptações pessoais que as pessoas utilizam por isso uns falam pra pôr agua quente pra lavar e outros não, outros colocar erva pra secar a cuia e outros mofam ela, e uns apenas jogam alcool e tacam fogo e outros deixam curtir a cuia com erva e cinza de forno a lenha e agua quente e outros utilizam apenas a erva que as vezes leva ao mofo pois é a cinza que impede as bacteria de se ploriferarem.
Emfim não deixe de tomar mate só pq você é da Groelândia ou da Africa os indio o bebiam antes dos colonizadores chegarem e mesmo assim os gauchos não ficaram de frescura e adaptaram vários modos de beber o troço, se adapte quem sabe um dia você será um percursor do modo tradicional do mate carioca de brasília ahhahah.

Rafael E. Garcete disse...

Amigo, voce não esta CURANDO AS CUIAS, os primeiros usos são criticos, voce precisa remover o mate quando termina e cobrir a cuia recem lavada com uma fina camada de mate seco, entao voce deixa ela descansar e vai fazendo isso, a cuia irá se esverdear, e posteriormente ficar escura, mas veja só! o bolor/mofo pode até aparecer após certo tempo sem usar a cuia, mas basta causar um holocausto a essas pequenas comunidades microscópicas lavando a cuia com agua quente 3x (quase fervendo) cuidado pra nao rachar a cuia nessas horas é bom colocar argua morna... e entao jogar fora e meter a quente alguns minutos depois após a cuia ja ter esquentado


eu tenho algumas de palo santo, o palo santo é uma madeira durissima quando ela seca racha mesmo, mas as rachaduras da minha ainda são apenas externas, quando começar a vazar será triste, eu tento veda-las com pingos de bonder rs

o chifre, aquela coisa sempre vaza é impressionante, ja coloquei goma laca, araudite (funcionam a curto prazo) durepox (fica horrivel, fode o gosto) ja derreti uma pet e fiz ela solidificar no fundo (fica uma merda) e to pensando em sacar a rolha de madeira, fazer um canal e montar um O'ring logo

mas o chifre tem um procedimento semelhante aos da cuia para "curar"

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...