terça-feira, maio 15, 2012

Embalagens práticas

Um post sobre aquele momento emocionante 
em que você pega a tampa do iogurte...
...levanta...
...E PUXA!!!

Elas são práticas. Estão aí para facilitar-nos a vida. Em seu interior, guardam coisas apetitosas, objetos do nosso desejo. Mas, na prática, são objetos inventados e produzidos com o único objetivo de infernizar a nossa existência - e não facilitá-la como se propõem. 


Quem já foi comer iogurte e ficou com a ponta do alumínio na mão sabe bem no que eu estou falando. Teoricamente, é por aquela pontinha a mais que você abrirá o lacre metálico. Não raro, essa parte extra se separa do resto. Aí você tem que ir catando as sobras minúsculas de metal na borda. E não adianta acreditar no divino poder de suas unhas. Se alguma ponta de tampa se soltar em seu favor, o máximo que irá acontecer é o aparecimento de um buraco inútil em cima desta. Uma vez a tampa toda esburacada, a alternativa final é o uso de algum talher para levantar o alumínio maltratado e comer o que ele estava bravamente protegendo. Acontece muito com iogurtes (sobretudo os mais baratos - já observei) e com Yakult (acabou de acontecer comigo há uma meia hora).

retirando a tampa do yakult
O topo sempre fica grudado ali. Com o tamanho reduzido, a remoção desta tampa é um trabalho que requer precisão cirúrgica.

Nem só de alumínio são feitas as embalagens que tornam nossa vida mais prática, alegre e feliz. Eu sempre tive um certo problema com "saquinhos", já que não costumo regar hambúrgueres, pizzas e sucos com ketchup, mostarda e maionese. Tá, maionese sim, mas isso não vem ao caso agora. Volta e meia, quando vou a lanchonetes, o atendente coloca meu pedido na bandeja junto com uns 15 mini-pacotes de ketchup e mostarda (raramente maionese) não solicitados. Como eu não gosto de desperdiçar alimentos, digo a ele que não quero os saquinhos, que são novamente recolhidos para o buraco de origem. Agora raciocinem comigo. Os saquinhos de condimentos têm uma vida itinerante, passam na mão de todo mundo e vivem em algum antro superpovoado (nunca falta). No que concerne a limpeza desses negócios, eles não ficam muito longe de uma nota de 1 real de mendigo - quando essas existiam. Finalmente, vale lembrar que o tal saquinho de ketchup rosado vem em uma embalagem prática! Sempre haverá um desenho de corte, uma linha arredondada e pontilhada branca, com os dizeres "abra aqui". Esquece, meu amigo. Tente em qualquer outro lugar. Ali, não abre. Eu mesmo, quando uso isso, só leio o "abra aqui" após já ter anarquicamente aberto no lado oposto. Vale lembrar que, algumas vezes, é impossível cortar apenas a extremidade e metade do saco é rasgada, espalhando molho pra todo lado. Molho e resto de mão de desconhecidos....

Embalagem de ketchup
Como se não bastasse, alguns abrem com os dentes.

Por fim, temos os embutidos embalados a vácuo. Essas embalagens costumam ser as mais cascudas de todas. Algumas - e tiro o chapéu para estas - têm uma ponta solta que, quando puxada, separa com perfeição as duas extremidades. Mas a grande maioria tem que ser na tesoura. E eu já vi algumas que têm a coragem de mencionar um "abre aqui" onde simplesmente não existe nenhum detalhe que evidencie tal possibilidade. Se alguém for tentar "abrir aqui" o plástico duro, conseguirá, no máximo, separar a unha do sabugo. Até Zé Mayer, com todo o poder que Deus lhe concedeu, terá que fazer uso de uma tesoura para esses casos perdidos. 

Embalagem lacrada de presunto
Tão bem embalada que é impossível cortar sem picotar o presunto. Já peguei umas assim.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...