terça-feira, julho 17, 2012

O amor descomplicado

 Aviso às politicamente corretas: a expressão "pegar mulher" será empregada nesse post.
 Certa vez eu conheci um sujeito de determinado país africano. Se existe uma antimatéria (as más línguas dizem que está à venda no Acre com 50% de desconto), susceptível de anular a matéria, esse indivíduo era a antipegação, susceptível de anular qualquer tipo de pegação. Ele já começou a estratégia de forma errada: impondo regras. Em sua visão, havia um "Sun Tzu: a arte da guerra para conquistar o sexo feminino". Para as coisas ficarem mais complicadas, ele cismou que eu havia lido o livro e sabia de todas as regras e artimanhas para deixar Zé Mayer invejoso. 

Seu primeiro objetivo foi a professora de Marketing, com 30 anos, belíssima, elegante, detentora de um mestrado no Japão e... casada. Sendo otimista, as chances de ela ficar com o seguidor de Sun Tzu seriam iguais ao zero pelo qual ele seria dividido no momento de sua investida. Para alcançar seus objetivos pegadores, me fazia perguntas do tipo "se eu ficar mais musculoso... eu pego professora?" Não... A coisa era mais complexa e transcendia o muque. Infelizmente, na cadeia alimentar pegadora, elaborada por mim num momento de extrema "pensação na vida", ele estaria localizado abaixo da base. Ou melhor, nem estaria localizado. 

Para estes que não encontram nem a base - e, sem vergonha de assumir, já estive nesses grotões - a partir de alguns estudos, experiências, relatos, choques de partículas no CERN e outros gráficos não tão completos que andei vendo por aí, cheguei à seguinte figura, que resume de forma descomplicada como se comporta o processo do amor; da conquista; das interações entre partes. Da pegação, enfim.

Na boa? Sun Tzu JAMAIS teria feito melhor! 

quinta-feira, julho 12, 2012

Barata Facts

“Eu tenho pavor de barata! Quando a gente pisa nelas, Juba, Faz CRREC!. Aí sai aquela gosma pelos lados." (Armação Ilimitada)
Barata é um animal nojento, fétido e assustador. Tanto que eu ia colocar foto de barata nesse post, mas meu estômago embrulhou e eu desisti. Ao ver a foto, eu sinto o cheiro... Ao escrever, estou sentindo o cheiro. 

Mas aqui, vou enfeitar a barata. Afinal, se formos analisar, trata-se de um bicho admirável. 

barata fofa
Cutchi-cutchi

O inseto marrom com duas antenas que mexem pra lá e pra cá faz parte da família Blattidae, que a julgar pelo número de indivíduos deve ter uma vida sexual bastante ativa. Não lembro onde li, colocarei aqui números aproximados e sem referência – coisa que eu detesto fazer – mas estima-se que haja uma média de 6 ratos por habitante no mundo e 20 baratas para cada rato. E você achando que havia muita gente em Calcutá...

Falando em sexo, esses bichos copulam por cerca de 1h e algumas fêmeas podem ficar grávidas para a vida toda, espalhando sua prole por aí. Quando o macho tem seus orgasmos, ele emite sons pornográficos.

sexo das baratas
Baratas: adeptas do Kama-Sutra, ficam cerca de uma hora copulando. 

Esses insetos crocantes preferem lugares quentes e escuros e comem o que vier pela frente, incluindo couro e cola de selo. E, como são uma grande família, não raro agem de forma organizada e largam uma trilha de mini-cocô para que os demais encontrem a fonte de alimento.

Agora vem a parte mais interessante sobre a barata. É fácil matá-la com Baygon, Havaianas ou maçarico (o mais destruidor, logo, o mais divertido. Recomendo!). Mas elas têm umas resistências invejáveis. Pra começar, ela consegue sobreviver 1 mês sem comida. O que é difícil, já que, na tradição delas, tudo se come. Afogamento? Elas não sabem ao certo o que o que é isso. Mas também quando souberem, não fará mais a mínima diferença. Essas pragas ficam facilmente uma meia hora sem respirar. Se você, com objetivos homicidas inseticidas, der descarga em alguma delas, ela voltará para se vingar e acomodar-se-á na sua orelha à noite – já vou avisando. O cérebro da barata também tem a particularidade de não estar na cabeça, mas sim espalhado pelo corpo. Acho que a cabeça da barata serve tão somente para comer. Isso faz com que ela seja imune à guilhotina. Sem a cabeça, uma barata sobrevive por uns 10 dias, até morrer de fome. 

barata morta
Carbonização da barata: rápido, eficiente e pirotécnico.

barata zumbi
Braaaaaaaaaaaaaaaaaiiiinnsssss

Finalmente, fui pesquisar sobre a famosa teoria de que a barata sobreviveria a um holocausto nuclear. Como eu havia imaginado, é apenas uma verdade “parcial”. Elas apresentam uma maior resistência à radiação, porém, ainda sofrem os efeitos desta. Mas é provável que com a radiação, a reprodução desenfreada na família Blattidae e o Darwinismo, as baratas acabem por se tornar seres mutantes, com uma antena crescendo nas costas e uma cabeça extra sem função brotando no tórax. Dessa vez, imunes a Baygon.

barata mutante
Como eu imagino a barata do futuro: sobrevivente em um mundo atômico, mutante, cada vez mais altas e com as patas do meio atrofiadas pois já anda em pé.

segunda-feira, julho 09, 2012

Mendigo rico, mendigo pobre.

Confesso ter um preconceito imbecil. Tal preconceito é fruto de histórias falaciosas e do fato de nunca ter morado em cidades com grande concentração de mendigos; moradores de rua; pedintes de esquina. A primeira coisa que me vem em mente quando vejo um é “pinguço”. Vai me encher a paciência para uns trocados, pois deve inteirar a passagem, comprar remédios, tomar um café... Nada! Ele quer é uma dose de Velho Barreiro pra esquecer da vida! Talvez me assalte. Certa vez saí de um supermercado à noite e eis que me aparece um barbudo andando esquisito, me chamando de “autoridade”, atacando meus sacos de compras para levá-los para o carro, me abraçando dizendo que é amigo, que quer me ajudar... Joguei os sacos de qualquer jeito no banco do passageiro e o carinhoso mendigo tentou entrar no carro comigo. Empurrei, fechei a porta em sua cara e ele ficou bravo. Começou a bater no vidro e chutar o veículo.Viram como é raça ruim?

Hoje eu li no Estadão uma matéria sobre um casal de moradores de rua, que encontraram 20.000,00 reais sob uma ponte. Dava pra comprar Velho Barreiro pra família toda por mais de um ano. O que eles fizeram? Entregaram pra polícia. R$ 20.000,00 pode parecer pouco para muita gente, mas faria uma ENORME diferença para eles. E os moradores de rua renunciaram. Supondo que a ganhassem R$ 700,00 por mês, guardando 100% dos ganhos, levariam 28 meses para obter a quantia encontrada. Há um tempo, um Senador afirmou sentir pena de quem é obrigado a viver com R$ 19.000,00 por mês. Eu sinceramente sinto pena dele.

mendigo dando o dedo
 Um pobre Senador, sobrevivendo com a sua ninharia. =(

 ---------------------------
Eis o link para a matéria:
 migre.me/9OKlg
--------------------------- 

domingo, julho 08, 2012

O fim do Blog II

Pronto. Após uma pesquisa com pouco quórum (15 votos; nem a minha mãe votou), 2 dizendo para eu mudar o layout que estava horroroso, 8 dizendo pra eu fazer o que me desse na telha e 5 dizendo para não mudar porque estava lindo, decidi mudar após um jogo de cara ou coroa. Após 6 anos, a coisa muda! O blog antigo morreu e lá vai um post pro arquivo histórico.

1- O header

Apareceu em 2007 e deu um trabalhão de fazer (não parece, mas deu!). Foi o que mais doeu mudar, gostava muito dessa barra aí. Mas ah... Gostei da nova também, igualmente trabalhosa.

header do blog
Dando boas vindas a quem chegasse por aqui desde 2007

2- O layout leiaute antigo

Não era assim na época do primeiro post. Mas na maior parte do tempo, as cores vinho, laranja, amarelo e azul escuro predominaram. Aos poucos, alguns elementos foram adicionados, como "número de visitantes", "origem" etc.

layout do blog
Tentei não mexer muito nas cores, na nova versão...

3- Adicionais recentes

Vi umas coisas interessantes por aí e resolvi incorporar. Mesmo não mudando a aparência, elas permaneceriam. Só não iriam figurar no arquivo histórico...

aplicativos do blog
- Favicon: nem sabia o que era há uns meses. Fiz um para motivos de "identidade";
- Wibiya: aplicativo com outros aplicativos. O número de visitantes no momento e o tradutor google estão acoplados a ele;
-  Visitantes simultâneos: 2 no momento do Print Screen. Porque pornografia na internet é bem mais interessante...

tradutor vietnamita
Tradutor Google - Cortesia da Wibiya, mencionado acima. Colocado aqui só pra ver meu blog em vietnamita, língua escolhida pelo número astronômico de sinais gráficos. Como eu tenho preguiça deles, odiaria ter que escrever nessa língua aí. 0.o

geolocation app
Mapa: também oferecido pela Wibiya. Mostra os hotspots. Mais vermelho; mais apimentado. Na África do Sul, tem um carinha da AOL e em Madagascar, uma referência nerd. Entenderá quem já jogou Pandemic 2.

outras sugestoes de posts
Nada a ver com a Wibiya; o site LinkWithin dá sugestões de outros podes que podem ser interessantes para quem leu algum e gostou. O critério de escolha das sugestões, se é que existe um, ainda me é um mistério...

Pronto. Arquivo salvo. Pepperpot com nova data de validade. 

terça-feira, julho 03, 2012

Durian, o rei das frutas.

Já é fato conhecido, eu costumo pedir aquele prato do cardápio que nem o garçom sabe explicar ao certo o que é. Cavalo, delícias de atum, rondeles de peixe, gafanhoto, maniçoba e baleia são coisas que já aterrissaram no meu bucho.

No que diz respeito às frutas, eu costumo fazer a mesma coisa. Nem pergunto pro carinha da frutaria pois sei que a resposta vai ser "dizem que é bom, mas eu nunca provei". Meu interesse por frutas mais exóticas começou quando eu li sobre o durian - "rei das frutas"...

Eu tenho a grande sorte de ter uns amigos que moram na Malásia, país localizado naquela região onde apreciam o tal durian. Primeira vez que soube dele, foi ao ler em um artigo dizendo que, em Cingapura, a fruta é proibida em locais públicos por poluir o ar com um bodum de respeito. Apesar do cheiro desagradável, as pessoas comiam a fruta e ainda consideravam-na como realeza! Como eu não tenho planos e muito menos grana para ir à Kuala Lumpur tão cedo (aceito doações), pedi a um amigo que experimentasse a fruta e me dissesse algo sobre a experiência. Eis o resultado:
Como solicitado, fui experimentar o famoso "Durian" =)
Como nao sou um connoisseur, minha traducao da experiencia:
Gosto de caqui + jaca + alho + queijo fedido .... agora nao tentar imaginar... hahaha
Aqui eh um sucesso, mas nao consegui apreciar...heh

durian fruta fedida
 Uma jaca com um interior que parece se contorcer. Eis o Rei das Frutas.

 O artigo dizia que o cheiro se assemelha ao de cadáver. Como eu nunca funguei defunto, imagino que, pela descrição do sabor, a do cheiro esteja bem precisa.O durian é provavelmente uma fruta daquelas que você só vai gostar se for iniciado desde pequeno. O que me remete ao nosso...

PEQUI

No Centro Oeste brasileiro, a "fruta" amarela que espalha sua cor, cheiro e gosto em tudo que toca é uma iguaria. Ela é usada para fazer doces, licores (o licor é muito bom) e acompanhar pratos. Os mais famosos e comuns são o "arroz com pequi" e a "galinhada com pequi". Pode ser também encontrado no empadão goiano (que até com pequi é bom) e em alguns pastéis. Comi pela primeira vez em uma "pizza de pequi", no interior de Goiás. Estranhei a frutinha amrelada, picada sobre a pizza. Não era doce, nem azeda, nem ácida.... Era apenas pequi. Vai minha tentativa de descrever o sabor:
Gosto de alguma fruta cítrica apodrecida, mas não ao ponto de ser desagradável.
Levemente perfumado, um pouco como uma jaca.
E com sabor prolongado, mas não tanto quanto o de uma cebola.
Uma particularidade do pequi é a apresentação do dito cujo. Dentro de uma casca verde espessa, estão as polpas amarelas (chamadas de "fruta"), que guardam as sementes. A polpa é comestível e deve ser "roída" cuidadosamente - eu já comi uma, apavorado. O interior da fruta é cheio de mini-espinhos,  que causam verdadeiros estragos em bocas desavisadas. Pela primeira vez, nessa foto, vi corte transversal de um pequi. É assustador.

peque cortado ao meio
Um Kinder Ovo com um ouriço do mar.

--------------------------------------------

E, falando em frutas para iniciados, não posso esquecer da minha última experiência... 

JATOBÁ - A fruta que eu nem considero fruta.

Quando da minha compra, possuía apenas uma informação: "é apreciada por índios e micos da Amazônia". Grande referência. Confesso conhecer muito pouco da culinária indígena ou de suas preferências gastronômicas. E muito menos a dos micos. Mas comer comida de mico, realmente, é pra iniciado. Envolvido em uma casca MUITO dura, fazendo cloct cloct por dentro, estava o meu jatobá, com um cheiro forte e enjoativo, tão forte quanto o do pequi. Em nome do índio e do mico, martelei com gosto e abri a "fruta" pra encontrar um amontoado de... PÓ!!! Pesquisa relâmpago no tablet... Era isso mesmo. O jatobá é uma fruta de pó. O gosto era extremamente perfumado/enjoativo e me remetia ao cheiro semelhante ao de chorume do seu exterior. A textura era seca (como comer uma colher de maizena) e fibrosa - o pó parecia estar preso em escamas que foram parar entre meus dentes. Pela primeira vez na vida, havia encontrado uma fruta ruim o bastante para ir imediatamente pra lixeira.

jatoba fruta empoeirada
...Mas, eu juro pra vocês, conheço gente que adora!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...