sexta-feira, janeiro 18, 2013

Banheiros

"Aqui tem banheiro, disse uma guia"

Acabo de voltar do banheiro no meu trabalho, que fica dentro da sala, logo, é confiável pois ninguém aqui vai ousar emporcalhar o local. Mas nem todos são assim. Eu acabo indo muito ao banheiro onde quer que eu esteja, não exatamente pra deixar a natureza seguir seu rumo de transformações mas sim com o único propósito de lavar a mão. Uma coisa eu posso afirmar: banheiro masculino costuma ser um dos lugares mais medonhos pelos quais um ser humano poderá se aventurar.

Em uma viagem recente, conheci o mais hediondo dentre todos. Em uma praia com uma suposta "infraestrutura", a guia turística disse "aqui tem banheiro". Como se 99% das pessoas não usasse o mar como banheiro, mas enfim... Em nome do bem estar dos peixes, eu fui até o lugar suspeito indicado pela guia. Era um quartinho no estilo "banheiro químico", só que feito com tábuas rosadas. Abri a porta com o dedo indicador e vi que o chão de madeira estava molhado. Fui pegar minhas Havaianas, já que não pisaria ali nem que me pagassem. Na volta, um senhor entrou antes de mim. E demorou. Ele saiu quando eu já estava pensando em deixar pra lá o bem estar dos peixes. Dilema: ir ou não ir? Resolvi ser Conan e encarar o desafio. Abri a porta e entrei com o pé direito. Lá dentro, à direita, um tonel azul com água e um balde dentro. Era a descarga manual. No centro, o vaso, uma louça com água barrenta. À esquerda, pendurados melancolicamente na parede, o assento e um rolo de papel higiênico nos finalmentes. Ou seja... Se eu quiser usar para fins mais graves, eu teria que montar a privada, como se fosse um Lego, usar um papel higiênico abrasivo e jogar baldes de água para dar a descarga... Saindo da praia, quis lavar a mão para tirar o sal e a guia me direcionou ao mesmo banheiro. Disse para eu usar a água do barril, que estava limpa. Não. Eu não usei.

Aprendi com a vida a não me arriscar em certos contextos que envolvam banheiros desconhecidos e inexplorados. Conceitos preciosos que podem salvar a vida:

1- Se o banheito estiver com cheiro de alguma coisa, procure outro;
2- Não havendo outro, se prepare para o pior.
3- Se a porta estiver fechada, não entre. Pessoas usam e fecham para ocultar o crime.
4- Se o vaso estiver fechado, não abra. Estando todos fechados, abra com o pé.
5- Se a porta E o vaso estiverem fechados e na impossibilidade de escolha, reze antes de abrir.
6- Havendo uma surpresa, não dê descarga.
7- Cuidado com banheiros feitos de madeira
8- Reze antes de entrar em banheiros químicos
9- E, novamente, havendo surpresa, NÃO DÊ DESCARGA! Fuja!
10- ...F U J A ! ! !

banheiro publico de madeira
Parede imitando pau-brasil, papel higiênico abrasivo na tampa e água saindo pelas bordas: os sete cavaleiros do apocalipse podem estar escondidos aí.

E uma menção honrosa àqueles banheiros chamados de "banheiro turco". Os (mau) famosos buracos no chão. Eu até hoje tive poucas experiências com eles e, por incrível que pareça, nenhuma ruim. Porém, quando eu era criança eu tinha uma certa cisma...

banheiro turco
...Um devorador de pipi podia sair do buraco!! Não queria arriscar.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...