sábado, março 02, 2013

Turritopsis nutricula, o Highlander dos mares

medusan flashman
Sealander, pode? Pior que pode...
 
Há uns tempos, escrevi sobre o peixe que rosna. Eis que, novamente, a água nos vem com mais um bicho curioso, com o nome científico de turritopsis nutricula. Trata-se de uma água-viva, ou medusa, que não rosna, mas faz coisa pior. Quem conhece esses animais e já foi acariciado por eles sabe que não é nada bom. Ele vem quietinho e camuflado até você, esbarra e causa aquela queimadura inesquecível. Quando criança, descobri que dava pra segurar as ditacujas com cuidado na palma da mão. Matava montes delas antes de entrar na praia. A nutricula, porém, não é como os seus pares que, um dia, para que possamos nadar mais tranquilos, passam da data de validade e morrem gelatinosamente. A nutricula é o highlander da mãe natureza e só morre se for estraçalhada, comida ou enterrada viva - como eu faço com suas semelhantes.

Água-viva-imortal
No outono é sempre igual
As folhas caem no quintal
Só não cai o meu amor
Pois não tem jeito
É imortal...

No ciclo de vida da medusa-medusa, o indivíduo adulto, único com a infeliz capacidade de se reproduzir, produz óvulos e/ou esperma e morre pouco depois, não se dando conta da bobagem que fez. Já a medusa-eterna pode continuar lá para admirar sua prole. Da mistura óvulos + esperma, temos como resultado uma larva plânula (ciliar). Essa larva, ao vir ao mundo, sai em busca de algum lugar estável e seguro para formar o pólipo e continuar seu ciclo. O pólipo é o ponto de partida pra essas porcarias molengas. É uma colônia, semelhante a uma árvore de cujas extremidades partem as larvas "éfiras", que um dia serão medusas. A nossa colega imortal, após passar por algum momento de stress, após se reproduzir ou por alguma experiência não identificada reverte seu processo de envelhecimento. Os tentáculos se retraem, a "cabeça" encolhe, ela gruda em algum lugar e ela vira pólipo novamente, ciclo que pode ser repetido ad eternum. Isso ocorre devido a um evento atípico em que uma determinada célula se transforma em outras diferentes - um pouco como o que acontece nas células-tronco humanas.

reprodução-da-agua-viva
Bruxaria submarina!

A nutricula foi descoberta por Christian Sommer, um estudante de biologia marinha alemão que estava de férias no Mediterrâneo coletando espécies de hidrozoários, um pouco como eu fazia, só que com outro propósito. Apesar de ter sido descoberta no Mediterrâneo, a espécie é originária do Caribe. Cientistas estipulam que, devido às sua cisma em não morrer, a nossa gelatina highlander possa estar expandindo cada vez mais seu território, prestes a criar um imprério marinho de dar inveja a qualquer Gengis Khan... Se não estamos - e nem corremos o risco de estar - nadando em um mar de geleca, é graças aos inúmeros predadores que fazem com que a imortalidade das nutriculas não tenha muita serventia. Há estudos sendo realizados no sentido de encontrar alguma propriedade em suas células que possa ser útil aos humanos.

pombo gordo
 E agora eu me pergunto... Será que pombo também não vira ovo?
 -----------------------------------
Fontes
http://scienceblogs.com.br/bessa/2009/02/o-curioso-caso-de-turritopsis-nutricula/  http://www.hypeness.com.br/2013/02/essa-agua-viva-e-o-unico-animal-imortal-do-planeta/
http://www.telegraph.co.uk/earth/wildlife/4357829/Immortal-jellyfish-swarming-across-the-world.html
http://en.wikipedia.org/wiki/Turritopsis_nutricula 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...