quinta-feira, outubro 31, 2013

Jack-o'-Lantern. Ladrões & Legumes

espantalho abobora

Chega dia 31 de outubro e, ao menos no Hemisfério Norte, abóboras mal-encaradas aparecem na porta das casas, muitas vezes acompanhadas de teias de aranha sintéticas e morcegos de borracha pendurados. É o famoso Halloween - "dia das bruxas" - não muito difundido por aqui. A celebração aparentemente tem origem celta e chegou aos EUA com os imigrantes irlandeses, tornando-se extremamente popular naquele país. Abóboras, conhecidas como "Jack-o'-Lantern" vieram junto.

O legume de cara feia tem uma história... Tudo começou com um efeito chamado "ignis fatuus", luzes fantasmagóricas que aparecem sobre lagos e pântanos - muito comuns na Irlanda, Escócia e adjacências. As luzes são consequência da decomposição da matéria orgânica que produz gases fluorescentes ou faíscas quando em contato com alguma substância presente no ar. Se hoje temos uma explicação científica pra isso (lá vem a ciência acabar com a minha assombração), lá pelo século XVII, ver um espectro luminoso em um pântano à noite era emoção suficiente para fazer qualquer um imundar as ceroulas. O apelido dessas luzes era "Jack of the Lantern", no qual "Jack" era um homem qualquer portando uma luz. Esses "fantasmas" pantanosos, segundo a crendice popular, apareciam para desviar viajantes incautos do caminho...

...E a criançada adorou a ideia! Na Inglaterra da época, crianças e jovens tinham o costume de esculpir beterrabas e nabos, colocar velas dentro e usar aquelas bruxarias para apavorar viajantes, como se os gases do pântano não fossem o bastante. Entre crianças católicas, a brincadeira era comum entre os dias 31 de outubro e 5 de novembro. Elas iam de porta em porta com as lanternas simbolizando as almas penadas, pedindo por biscoitos (Soul Cakes). 

jeremias bebado
 U cãu fui quem budô bá nóiz b'bê...

Mas não se trata apenas de luzes mal assombradas ou brincadeiras de criança. Na Irlanda, temos a história de Stingy Jack, um cara mais macho que Chuck Norris que conseguiu trollar o capiroto.

Stingy era um ladrão bêbado e malquisto. Certa vez resolveu chamar o capiroto para beber um whisky com ele em um bar e o tinhoso aceitou. Tomaram todas e, na hora de pagar a conta, o coisa ruim espantou-se ao ver que Jack estava mais liso que quiabo. Então, o bebum lhe fez uma proposta: "diabão... Vire uma moeda de libra, que eu pago a conta. Depois, quando eu sair do bar, você vira capeta de novo e foge pro inferno." Ingenuamente, o demo virou uma moeda e foi prontamente colocada no bolso do bêbado, junto a uma cruz de prata, impedindo que este voltasse à sua forma diabólica. Porém, Stingy teve piedade de seu amigo e resolveu soltá-lo, com a condição de que, após sua morte, sua alma não iria para junto dele. Sem opção, satanás prometeu que não o levaria para as chamas eternas. Até que um dia Jack morreu. Porém, no céu, deu de cara com portões fechados, já que São Pedro não permitiu que ele entrasse lá com suas credenciais. Também não pode ir pro inferno, pois o cão cumpriu sua promessa. Mas, retribuindo a Jack o gesto piedoso de outrora, o cramunhão deu de presente uma brasa que nunca apaga, para que a luz guiasse sua alma errante pra sempre pelas trevas do purgatório. Sem alternativa, Jack esculpiu um nabo e anda sem rumo com ele aceso desde então.
 
Na Irlanda, as famílias passaram a esculpir nabos e beterrabas com caretas e iluminá-los para afastar a alma de Jack e outros possíveis fantasmas. Nos EUA perceberam que, não somente as abóboras eram mais abundantes, mas também eram melhores de serem esburacadas para ganhar feições medonhas. Daí vêm as abóboras de Halloween.

portão do inferno

A fabulosa história de Jack, porém, dificilmente é verdadeira. Primeiro, porque diabo não costuma ser gente boa e sair por aí tomando drink com qualquer zé ninguém. Segundo porque o Turcomenistão é muito longe da Irlanda. Acham MESMO que o demo iria se deslocar até lá pra beber whisky?

Feliz Halloween a todos!
------------------
Soul cakes: biscoitos amanteigados ingleses, feitos tipicamente para a época de finados. Eram entregues a crianças e mendigos e simbolizavam uma alma penada que, uma vez consumida, era liberada de seu tormento.

sábado, outubro 19, 2013

A Power Aula

Power Point. Conhece?

power point logo
.ppt

Segundo a definição mais aceita, é um "programa concebido para a criação/exibição de apresentações, podendo conter textos, imagens, sons e animações". Aquele bloco de notas gigante no qual gráficos eram apresentados em toda santa reunião de empresa foi aposentado - ou pelo menos está em desuso.

laser para power point

Retomando a característica de "~podendo conter textos, imagens, sons e animações" chegamos à conclusão de que temos em nossas mãos uma explosão de versatilidade mágica para deixar a nossa vida mais linda e colorida com esse software que faz tudo. O que pode dar errado com tamanha perfeição?

Como hoje é ontem anteontem (dane-se) foi dia dos professores e, por incrível que pareça, já tive aula, resolvi juntar os dois conceitos. E, caros professores, evitem o Power Point. É uma armadilha didática do Satã Goss. Essa entidade ruim (quem não tem a minha idade, vá ao google e procure "Jaspion") confunde a mente de vários professores que, maravilhados com as inúmeras possibilidades da ferramenta, vão lá e... Usam! E pronto, caíram na armadilha...

O grande problema:

"Apresentação" é bem diferente de TODA a matéria. Muitos professores não se dão conta e abandonam o giz que suja a mão em prol da tecnologia. Ditar o que deve ser escrito também é chato. Bem melhor explicar o conteúdo e "apresentar" a teoria...

zoom in

...No formato de um número sem fim de slides com longos textos escritos na bela fonte Times New Roman 11.

Às vezes, é tanta matéria disponível pra copiar por slide - pra quem gosta de copiar tudo - que a vítima mal passa das três primeiras linhas e não consegue copiar toda a fórmula de alguma equação "muito importante". Menos ainda a explicação da formula no slide subsequente. Isso contribui para as melhores postagens no Instagram e no Facebook, refúgio imediato dos desiludidos que se perderam nas anotações.

aula fail

Para facilitar a leitura, basta escurecer a sala. Dá sono, é verdade, mas quem irá dormir tendo à sua frente tanta tecnologia?

dormindo na aula

...A menos que a grande tecnologia esteja desfocada. Satã Goss também previu uma extensão chamada "retroprojetor" que interage de forma maravilhosa para nos fornecer, vez por outra, uma apresentação embaçada de estragar a vista de qualquer um.

professor feliz

Power Point é tão horrível assim? Nunca! Ele pode ser tudo de bom na nossa vida. Basta seguir a pequena regra de ouro: 
NÃO
USEM
POWER
POINT
NA
AULA! 

terça-feira, outubro 01, 2013

The Bloop

A história da humanidade está recheada de mistérios... Basta ver os documentários do "History (?)" (grande ênfase no HISTORY (?)) Channel para sair se perguntando se sereias existem mesmo... Sim, eu vi esse documentário e, pior, achei convincente. Um macaco tornou-se "aquático", evoluiu pra o fundo dos mares e "sereiamos". Baleias e focas são mamíferos; porque não poderia haver um mamífero humanoide, já que conhecemos tão pouco do mar? Hein? Hein? Além do mais, eu vi na Disney... 

Agora... O The Bloop, pela possibilidade de envolver envolver Cthulhu, eu gostei. Pode, inclusive, envolver sereias, já que foi embaixo do mar. Mas já vou entregando o jogo, provavelmente foi algum evento geológico; como um iceberg que se desprendeu. Mas aposto que, segundo o meu querido e conspiratório History, é a prova de que monstruosidades monstruosas existem lá no fundo.

privada bloop
 Os cientistas pensaram nessa porcaria e batizaram o evento. Tenho certeza...

Que ráios é THE BLOOP? 
Em 1997, na costa oeste da América do Sul, na melancólica e isolada coordenada de 50ºS e 100ºW, um barulho foi captado por sensores submarinos - desses usados para ouvir cantos de baleias ou golfinhos. E, ao que tudo indica, era de fato um barulho de origem biológica, portanto, vindo de algum cetáceo. A particularidade do Bloop é que ele foi captado por diversos sensores... A 5.000 Km de distância. É como se eu berrasse em Brasília e me ouvissem em Dakar, logo ali, no Senegal. Foi o som mais alto já registrado sob o oceano. Por conta da frequência e para nossa sorte, ninguém se machucou. O som durou cerca de 1 minuto e nunca mais foi captado desde então. O nome se deve ao barulho que, reproduzido em velocidade acelerada, soa como - adivinhem? - BLOOP!

DaFuq????
A princípio, os cientistas mais empolgados cogitaram a existência de algum ser vivo de tamanho apavorante, cujo canto era semelhante ao de uma baleia azul. Uma baleia azul 16x maior. Como somos um tanto ignorantes quando o assunto é "oceano" (conhecemos algo como 5-10%), poderia ser uma possibilidade... Para deixar as coisas mais legais, as coordenadas do evento eram eram próximas às da cidade lendária de R'yleh, onde o monstro Cthulhu estaria aprisionado, de acordo com Lovecraft. Mas, a ciência acabou com o pirlimpimpim da história e já bateu o martelo: o bloop foi produzido por um iceberg que se desprendeu. Cientistas até apontaram o iceberg culpado. Outras hipóteses - tão improváveis quanto o Cthulhu - apontam para terremotos, barulhos de vento (no caso, tempestades simultâneas) ou navios de grande porte.

Eu aguardo o veredito do History Channel. Cthulhu pode ter espirrado.

cute cthulhu
Quem? Eu?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...